Resenha de Show

Immolation faz show repleto de técnica e simpatia no Fabrique Club

Immolation faz show em São Paulo da turnê de seu novo álbum ‘Atonement’

Cesar Franciolli/Headbangers News


Immolation faz show em São Paulo da turnê de seu novo álbum ‘Atonement’

Os fãs de metal voltaram para suas casas na noite do último domingo, 29, com um sorriso sombrio em seus lábios, tamanho o prazer de conferir o show da banda Immolation, um dos mais consagrados nomes do metal internacional. Em um show estrondoso no Fabrique Club, na zona oeste da capital, os norte-americanos dividiram o palco com outros importantes nomes da cena, a banda Mystifier, de Salvador, e os bolivianos do Corporal Jigsore.

O Corporal Jigsore abre a noite em grande estilo, apresentando para os fãs a força de um Death Metal repleto de referências e elementos da música latina, um diferencial irreverente, que marca sobremaneira o modo como o público reage às investidas sonoras da banda, dos riffs enérgicos da guitarra de Gabriel Paveze do diálogo intermitente e cheio de cadência entre o baixo de Rotten com a bateria de Adriana Pynaia.

Formada em 2005 em Santa Cruz de La Sierra, na Bolívia, o Corporal Jigsore veio ao Brasil para divulgação do terceiro álbum de sua carreira, “Unleashing the Pestilence”, lançado em 2017.

Do trabalho mais recente, a banda apresentou músicas como “Infernal Domain”, “Salve Muerte”, “Bleeding Earth”, “Manufactured Apocalypse”, “La Via Dei Serpenti”, “Dark Supremacy” e “Unleashing the Pestilence”, música que dá nome ao novo álbum.

Na sequência, é a vez do Mystifier aterrorizar os fãs com uma sonoridade pesada, versos apocalípticos e uma levada poderosa da bateria. Formada em 1989, em Salvador, na Bahia, a banda se desdobra em carisma e atenção com o público, que devolve com gritos e gestos de reconhecimento a toda dedicação dos músicos em fazer daquele um momento especial.

A sonoridade do Mystifier é marcada por uma linha de baixo contundente e gutural raivoso de Diego DoUrden, que abusa de acordes aos teclados para criar um clima ainda mais sombrio e tenebroso. Enfurecido, ele não economiza energia na interação com o guitarrista Beelzeebubth e com o baterista Eduardo “Warmonger” Amorim.

Reconhecido em meio às fieis representantes do Black Metal brasileiro, a banda foca em contextos sinistros e cenário assustador, uma constante perversa nas músicas “Osculum Obscenum” e “Na Elizabethan Devil-Worshipper’s Prayer-Book”, do álbum Wicca, de 1992, e “Aleister Crowleyand Ordo Templi Orientis”, “Beelzebuth”, “The Realm of Antichristus” e “The True Story About the Doctor Faust’s Pact With Mephistopheles”, do álbum “Göetia”, de 1993, trabalhos considerados verdadeiras obras primas do Black Metal por especialistas do gênero.

Dos trabalhos mais recentes, o Mystifier apresenta ainda “Unspeakable”, “Soultrap” e “Givethehuman”, e não deixam o palco sem antes prestar apocalíptica homenagem à banda Sarcófago, com “Nightmare”.

O grandfinale ficou por conta do igualmente devastador e esperadíssimo show do Immolation. O quarteto raivoso, formado em 1986, em Nova Iorque, hoje é composto pelos veteranos Ross Dolan (baixo e vocal) eRobert Vigna (guitarra), e dos experientes Steve Shalaty (bateria) e Alex Bouks (guitarra). A banda retorna ao Brasil para divulgar seu novo trabalho, o álbum “Atonement”, destaque entre os melhores álbuns de 2017.

Na vanguarda de um Death Metal rápido, brutal e de qualidade extrema, o Immolation subverte a lógica dos ponteiros do relógio e presenteia os fãs com uma descarga poderosa de energia, evidente numa incrível performance de palco. Implacável, Dolan empunha seu baixo como que tomado por pura danação. Desse frenesi em diante a banda esbanja técnica para mostrar as músicas do novo álbum, como “The distorting light”, “When the jackals come”, “Thrown to the fire”, “Destructive currents” e “Fostering the divine”, sem deixar de presentear os fãs com músicas de inúmeras fases de sua carreira, clássicos consagrados como “Into everlasting fire”, do álbum Dawn of Possession, de 1991, “Once ordained”, do álbum Failures for Gods, de 1999, “Swarm of terror” (Harnessing Ruin, de 2005), entre outras.

A banda encerra o grande espetáculo com a música “Immolation” e é completamente ovacionada pelo público, que não arredou o pé antes de tirar fotos e demonstrar todo o carinho com os músicos, que retribuíram o acolhimento com muita simpatia.

Galeria de Fotos

Setlist – Immolation

The distorting light (Atonement, de 2017)

When the jackals come(Atonement, de 2017)

Father, you’re not a father (Close to a World Below, de 2000)

Swarm of terror (Harnessing Ruin, de 2005)

Majesty and decay, música que dá nome ao álbum de 2010

Once ordained (Failures for Gods, de 1999)

Thrown to the fire(Atonement, de 2017)

Kingdom of Conspiracy, música que dá nome ao álbum de 2013

Destructive currents (Atonement, de 2017)

Into everlasting fire (Dawn of Possession, de 1991)

Den of thieves (Shadows in the Light, de 2007)

Fostering the divine (Atonement, de 2017)

Immolation

Galeria de Fotos

Set list – Mystifier

Unspeakable

Give the human

Osculum Obscenum

An Elizabethan Devil-Worshipper’s Prayer-Book

Aleister Crowley and Ordo Templi Orientis

The Realm of Antichristus

The True Story About the Doctor Faust’s Pact With Mephistopheles

Soultrap

Beelzebuth

Galeria de Fotos

Set list – Corporal Jigsore

Infernal Domain

Salve Muerte

Bleeding Earth

Unleashing the Pestilence

Manufactured Apocalypse

La Via Dei Serpenti

Dark Supremacy


Fabrique

Data: 29/04/18

Horário: 17h

R. Barra Funda, 1871, Barra Funda

(11) 4306-4220

fabriquesp.com.br/