Resenha de Show

Michale Graves: Show impecável em São Paulo e o mistério do abandono da turnê

Carlos Pupo/Headbangers News


Michale Graves, vocalista dos Misfits entre 1995 e 2000, esteve em São Paulo com a “American Monster Tour” em que tocou na íntegra os clássicos álbuns “American Psycho”, de 1997, e “Famous Monsters”, de 1999, do período em que integrava a renomada banda de horror punk. O Carioca Club, casa de shows da capital paulista, há muito tempo não recebia tanto público para uma apresentação de rock (o local também recebe regularmente apresentações de pagode e outros gêneros musicais).

Os Misfits em sua formação considerada “clássica” sempre tiveram Glenn Danzig à frente dos vocais e seu retorno recente foi revelado ter sido uma obrigação contratual para marcar os quarenta anos de formação do grupo. Achei isso um tanto decepcionante.

Independente disso, o outro período muito frutífero do grupo foi quando Graves esteve nos vocais e que resultou nestes excelentes álbuns que foram executados para o público eufórico de São Paulo. Quem é fã do grupo, assim como sou, jamais poderia perder.

Mas mantendo a “suposta imparcialidade” como jornalista, sou obrigado a citar que o setlist foi incrível, mas senti falta das outras empreitadas de Graves pós-Misfits. Mesmo assim, o time que o acompanha, formado por Loki (guitarrista), Howie Wowie (baixo) e Adam Parent (bateria), é muito talentoso e sabe agitar no palco.

Graves falou pouco com o público, tomou choque do microfone, mas foi tocante em seu discurso que precede a execução da faixa “Fiend Club”. “Além destas paredes o mundo é um lugar muito difícil, é assustador. O mal está em todo lugar, eu sei disso. Quando estamos juntos como neste momento estamos um pouquinho a salvo”. “Eu quero que saibam o quão especiais vocês são. O quão bonitos vocês são. O quão fortes vocês são. O quão criativos vocês são e que cada um de vocês escolha seus destinos não importa o que os outros digam, lembrem-se disso”.

“We’re not losers all of the time
We march and we fall
We’re one and for all
It’s just evil all of the time…”

Tenho certeza absoluta que todos os fãs presentes saíram satisfeitos com o show, que com contou com quase duas horas ininterruptas de música, executadas com precisão e recebidas com extrema empolgação.

Setlist:
1. Abominable Dr. Phibes
2. American Psycho
3. Speak of the Devil
4. Walk Among Us
5. The Hunger
6. From Hell They Came
7. Dig Up Her Bones
8. Black Light
9. Resurrection
10. This Island Earth
11. Crimson Ghost
12. Day of the Dead
13. The Haunting
14. Mars Attacks
15. Hate the Living, Love the Dead
16. Shining
17. Don’t Open ‘Til Doomsday
18. Hell Night
19. The Forbidden Zone
20. Lost in Space
21. Dust to Dust
22. Crawling Eye
23. Witch Hunt
24. Scream!
25. Saturday Night
26. Pumpkin Head
27. Scarecrow Man
28. Die Monster Die
29. Living Hell
30. Descending Angel
31. Them
32. Fiend Club
33. Hunting Humans
34. Helena
35. Kong Unleashed

 

Feita a resenha e pronto para publicá-la, recebi uma informação no domingo (23) que não poderia deixar de noticiar. Michael Graves foi acusado pela produtora Venus Concerts de ter abandonado a turnê sem explicação plausível. Ele teria ainda 6 show pendentes: Limeira, Brasília, Caxias do Sul, Florianópolis, Fortaleza e Recife.
Até o momento da publicação, não havia nenhum comunicado oficial por parte do cantor e de sua equipe explicando o encerramento prematuro da turnê, somente as publicações feitas pela produtora nas redes sociais. Numa delas ele é chamado de “bandido”. A Venus Concerts acionou a Polícia Federal e ameaça processar Graves e a equipe por estelionato.



Carioca Club

Data: 22/06/19

Horário: 18h

Rua Cardeal Arcoverde, 2899 - Pinheiros