Resenha de Show

Música, protesto e união de várias tribos nos três dias de Oxigênio Festival

A banda Charlotte Matou Um Cara se apresenta no Oxigênio Festival, no Via Matarazzo, em São Paulo, no domingo, 15 de Setembro de 2019, com realização da Gig Music e do Hangar 110.

Carlos Pupo/Headbangers News


A banda Charlotte Matou Um Cara se apresenta no Oxigênio Festival, no Via Matarazzo, em São Paulo, no domingo, 15 de Setembro de 2019, com realização da Gig Music e do Hangar 110.

Oxigênio Festival 2019 começou na última sexta-feira 13, e foi até o final do domingo, dia 15 de Setembro. Apresentado pela Vans “Off the Wall”, mais uma vez mostrou que é o maior do gênero hardcore, e também mostrou que este estilo é solidário, militante e agressivo – mas não violento.

A sexta edição do tradicional evento, contou com três dias repletos de atrações, distribuídas em dois palcos,  só reforçando sua importância e, também, provando por que merece o apelido de “Warped Tour” brasileira. Ele aconteceu novamente no Via Matarazzo, na Barra Funda, e reuniu milhares de fãs,  oferecendo uma experiência completa aos amantes de punk rock, hardcore e estilos que estão bem próximos a eles.

O evento foi a união da velha cena aliado à nova geração. Com muito sangue, suor, lágrimas, stage diving e discursos. Cada vez mais, a cena feminina no meio do rock está ganhando visibilidade, e é claro, que neste evento não seria diferente. Muitos eventos colocam uma ‘cota’ de banda femininas, no Oxigênio Festival, pudemos ver uma igualdade, com bandas lideradas apenas por mulheres. Profissionais e agressivas, mostraram que a cena pesada também é lugar de mulher.

A banda de thrash metal Nervosa se apresenta no Oxigênio Festival, no Via Matarazzo, em São Paulo, no sábado, 14 de Setembro de 2019, com realização da Gig Music e do Hangar 110.

Carlos Pupo/Headbangers News


A banda de thrash metal Nervosa se apresenta no Oxigênio Festival, no Via Matarazzo, em São Paulo, no sábado, 14 de Setembro de 2019, com realização da Gig Music e do Hangar 110.

O line-up foi formado apenas por bandas nacionais, antigas e novas, bandas clássicas que recém voltaram às atividades e outras que a cada dia conquistam mais fãs que fizeram o público cantar, pular, aplaudir, mesclando várias outras emoções que tomaram conta do evento. No primeiro dia, as apresentações começaram às 8h da noite, com line-up menor, mas que abriu o festival em grande estilo. Com apresentações de Bayside Kings, Cefa, O Inimigo, Codinome Winchester, CPM 22, Dead Fish, entre outras.

A noite de sexta-feira estava apenas começando e na primeira banda, o público já lotou o Via Matarazzo com um enorme mosh pit em frente ao palco “Off the Wall”, onde o Bayside Kings instaurava o caos. Após a primeira música, o vocalista Milton Aguiar foi pra galera e ficou cantando lá de baixo, entrando nas rodas e deixando os fãs tomarem conta do microfone. Esse foi um dos shows mais animados do Oxigênio Festival e já mostrava o que estava por vir no próximos dias de festival.

Sábado, segundo dia de festival contou com apresentações da revelação The Mönic, formada apenas por meninas com grandes críticas, a banda já entrou no palco toda de branco e com uma camiseta escrito “Marielle Presente” – Saiba mais sobre a banda na entrevista cedida ao Headbangers News.

Outra grande banda comandada por mulheres que participou do festival foi a Nervosa, apresentando seu poderoso thrash metal, um estilo que foi adicionado este ano no line-up do festival. O grupo segue representando o Brasil e todas as mulheres que gostam de música extrema. A apresentação teve que ser menor e com algumas músicas fora do setlist, mas o show não deixou de ser agitado, com muito mosh e aplausos. No mesmo palco, apresentaram-se Zumbis do Espaço, Rumbora,  O Bardo e o Banjo e Terra Celta, que também estreou um estilo musical diferente do costumeiro do festival.

A banda The Monic se apresenta no Oxigênio Festival, no Via Matarazzo, em São Paulo, no sábado, 14 de Setembro de 2019, com realização da Gig Music e do Hangar 110.

Carlos Pupo/Headbangers News


A banda The Monic se apresenta no Oxigênio Festival, no Via Matarazzo, em São Paulo, no sábado, 14 de Setembro de 2019, com realização da Gig Music e do Hangar 110.

O público não deixou a roda e stage dive pararem em nenhum momento nos shows do palco principal, que contaram com a banda Pense, Glória, Supercombo, Molho Negro e a clássica Ratos de Porão, que fez um show em trio, devido a pausa que o vocalista João Gordo teve que fazer devido seus recentes problemas de saúde.

Sem medo algum de expressar sua opinião, as bandas fizeram uma série de discursos políticos contra o fascismo, sexismo e alguns exaltando o socialismo e, para a surpresa de muitos, foram celebrados pela grande maioria do público. Talvez, entre a galera do punk e hardcore, o rock não esteja cada mais conservador – que é algo que infelizmente vemos em alguns fãs e bandas. Mas em quase todos os shows do Oxigênio Festival, o discurso seguia este mesmo caminho, mostrando que a essência desses estilos musicais continua viva.

A banda punk Ratos de Porão se apresenta no Oxigênio Festival, no Via Matarazzo, em São Paulo, no sábado, 14 de Setembro de 2019, com realização da Gig Music e do Hangar 110. O vocalista João Gordo não se apresentou com o grupo, ele ainda se recupera de uma pneumonia que causou 3 internações recentes na UTI.

Carlos Pupo/Headbangers News


A banda punk Ratos de Porão se apresenta no Oxigênio Festival, no Via Matarazzo, em São Paulo, no sábado, 14 de Setembro de 2019, com realização da Gig Music e do Hangar 110. O vocalista João Gordo não se apresentou com o grupo, ele ainda se recupera de uma pneumonia que causou 3 internações recentes na UTI.

O último dia de festival, foi um verdadeiro protesto contra o sexismo. O primeiro show começou com uma pedrada feminina — as primeiras bandas a tocarem tinham mulheres -, e quem abriu foi a Sapataria, que ganhou a votação no Facebook para tocar no festival e reuniu muitas fãs, que agitaram todas as músicas e fizeram uma bela participação também no show da banda de Riot Girl, Charlotte Matou um Cara e Violet Soda.

O público foi chegando e lotando a casa para agitar o terceiro e último dia de Oxigênio Festival, com as apresentações de Autoramas, Esteban, Dibob, Darvin, Armada, a clássica banda Punk, Cólera, entre outras.

As últimas horas do terceiro dia do Oxigênio Festival 2019 contaram com uma imprevisível queda de energia por volta das 19h45 em um dos palcos, quando a banda Strike encerrava a última música. Por conta disso, houve atraso da programação, faltando a apresentação das bandas daquele palco, o Far From Alaska, além da última banda, Francisco El Hombre.

Esses shows foram cancelados devido o gerador que queimou os equipamentos de som. Alguns dos equipamentos foram drasticamente comprometidos. Para compensar, a Far From Alaska realizará um show no The House (São Paulo), com data e local a serem definidos em breve, a todos que apresentarem ingressos do terceiro dia do Oxigênio Festival. A Francisco El Hombre realizou um acústico na pista, junto aos fãs, logo após o anúncio do cancelamento do show convencional.

Em tempos de forte apelo político e de preconceito social e até mesmo com o estilo “Rock”, é sempre interessante visitar eventos como esse para entender as cenas  regionais e estilos musicais, e ver que aqueles que realmente querem fazer acontecer, não estão nem aí para o senso comum e lutam sempre por igualdade e para mostrar a força da minoria.


VIA MATARAZZO

Data: 14/09/19

Horário: 13H

Avenida Francisco Matarazzo, 764,

https://www.oxigeniofestival.com.br/