Resenha de Show

Rockfest empolga paulistanos e dá prévia do Rock in Rio

Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts


* Crédito das fotos da galeria e de destaque: Ricardo Matsukawa/Mercury Concerts

O Rockfest reuniu um público de aproximadamente 37 mil pessoas no Allianz Parque, em São Paulo, no último sábado 21 de Setembro, dando razão ao que disse o vocalista da banda brasileira Armored Dawn, Eduardo Parras. O líder do único grupo brasileiro a se apresentar no festival deste ano, comentou que o público presente mostra a força e o apelo que o rock e o metal ainda possui no país.

De fato podemos considerar que a primeira edição do evento foi extremamente bem sucedida, pois só não contou com um público maior, pois a anel superior das arquibancadas do estádio estava fechado.

O fato do cast que se apresentou ter sido muito bem escolhido, deve ter contribuído para a procura dos ingressos. E mesmo a substituição do Megadeth pelo Helloween, devido ao tratamento de câncer de Dave Mustaine, foi feita de forma precisa e sem perder o apelo dos fãs headbangers. Aliás, Andi Deris comentou sobre a recuperação de Mustaine durante o show e pediu ao público para que enviasse energias positivas e desejando a pronta recuperação do cantor e guitarrista americano.

No intervalo entre os shows, foi confirmado para Maio de 2020 mais um show do Kiss no país, levando o público a loucura.

A abertura do Armored Dawn foi um excelente aquecimento para o pessoal que aguardava o show dos “medalhões” do rock and roll, hard rock e do metal.
Serviu também para mais uma vez acompanharmos esta ótima banda nacional que cada vez mais ganha o respeito e a simpatia dos “metaleiros”, incluindo uma homenagem tocante ao vocalista André Matos (Shaman, Viper e Angra), falecido no dia 8 de junho deste ano devido a uma parada cardíaca.
Já o Europe, contou com o show de carisma do vocalista Joey Tempest, que soltou palavrões em português, assim como clamava a energia dos presentes sempre em nossa língua nativa. Ele foi pra galera, caiu nos braços dos fãs, apertou mãos, fez graças e gesticulava o tempo todo. Um genuíno frontman dos  tempos nostálgicos dos anos 80. O setlist da banda foi muito equilibrado e contou com grandes sucessos como Cherokee, Carrie, até chegar à apoteótica The Final Countdown que fez o estádio inteiro cantar junto.

Os alemães do Helloween, outros velhos conhecidos dos brasileiros, trouxeram o show similar ao que já vinham apresentando recentemente com sua turnê de reunião, em que o guitarrista e vocalista, Kai Hansen, junto com os vocalistas Michael Kiske e Andi Deris dividem os microfones e se revezam na execução dos clássicos da banda. Para quem realmente é fã de heavy metal, o grupo dispensa maiores comentários e é sempre preciso e perfeito, superando suas rusgas antigas e deixando todo mundo maluco com a execução de canções tão poderosas como “Future World”, “Ride the Sky”, “I Want Out” e “Power”.  Por terem sido chamados de última hora, senti que o setlist foi um pouco curto para encaixar o show do grupo entre as outras bandas. Mesmo assim, não deixou de ser marcante.

Já o Whitesnake se destacou pela monstruosidade e genialidade de um baterista do alto de seus 69 anos, o fantástico Tommy Aldridge, com passagens por outras bandas clássicas como Black Oak Arkansas, Thin Lizzy, assim como de Ozzy Osbourne e de Gary Moore.

David Coverdale pode não ter a mesma voz potente do passado, mas ainda deixa no chinelo muito moleque por aí e emociona ao cantar “Is This Love”, “Love Ain’t No Stranger” ou “Here I Go Again”. Aliás, o álbum novo Flesh & Blood é excelente e você pode conferir a resenha aqui no site Headbangers News.

Deste novo álbum foram executadas “Hey You (You Make Me Rock)”, “Trouble Is Your Middle Name” e “Shut Up & Kiss Me”. É revigorante ouvir bandas clássicas como esta lançarem novos trabalhos inspirados e de alto nível.

Com uma bandeira do Brasil dada por algum fã e com as cores brazucas na camisa que usava, David se mexia muito e parecia feliz um dia antes de seu aniversário de 68 anos.

Fechando a noite com muita propriedade, os Scorpions também homenagearam o Brasil nos telões e fizeram o público cantar a maioria das músicas. Uma bos prévia do que vai ocorrer no Rock in Rio, o setlist eletrizante trouxe “Rock You Like a Hurricane”, “The Zoo”, “Blackout” e um medley com “Top of the Bill”,  “Steamrock Fever”, “Speedy’s Coming” e “Catch Your Train”.

Mas o público paulistano parece gostar mais das baladinhas e deixou a emoção fluir cantando junto uma versão acústica de “Send Me an Angel”, além das outras consagradas “Wind of Change” e “Still Loving You”. Mostrando que quem gosta de rock e metal não deixa de ser sensível.

Aguardamos ansiosamente mais edições deste festival, mantendo o mesmo nível de atrações e de organização. Se mantido, pode se tornar algo tradicional para estes fãs tão fiéis e ávidos de proximidade com seus grandes ídolos.


Allianz Parque

Data: 21/09/19

Horário: 16h15

Avenida Francisco Matarazzo, 1705 – Água Branca