Entrevistas

Christofer Johnsson, do Therion, fala sobre a Horror Expo e promete a gravação de um novo álbum em 2020

Mina Karadzic/Nuclear Blast

O sueco Christofer Johnsson, fundador e guitarrista da banda Therion, concedeu uma entrevista para falar dos futuros trabalhos do grupo e da sua apresentação na Horror Expo 2019, marcada para o dia 20 de Outubro (domingo), no Pavilhão de Exposições do Anhembi, em São Paulo. A feira tem como objetivo reunir grandes nomes do gênero do horror/terror, nos campos do cinema, TV, séries, literatura, comics, videogames, serviços de streaming, música e cultura pop. O trabalho mais recente do Therion, intitulado “Beloved Antichrist”, foi lançado em 9 de fevereiro de 2018 pela Nuclear Blast e é o 16º álbum completo dos suecos. Uma grande ópera rock de três horas, concebida para o palco, baseada no romance russo “A Short Tale Of The Antichrist”, gravado com a ajuda de 27 vozes diferentes.

“Beloved Antichrist” foi lançado em fevereiro de 2018 e recebeu excelentes críticas. Quais serão os próximos passos depois deste ópera rock?

Estou trabalhando para apresentá-la no México, mas é um processo longo, complexo e caro, porque queremos fazer a versão completa com orquestra.

Alguns simbolismos religiosos são usados ​​neste álbum. Eu li que foi influenciado pelo livro “A Short Tale Of The Antichrist”, de Vladimir Solovyov. Você já se declarou uma pessoa não religiosa, mas esses temas sempre atraem o interesse de muitos. Como isso te inspira?

É inspirado e parcialmente baseado no livro. Na verdade, é apenas uma boa história, não é necessário ter interesse em religião para se envolver na história. As religiões sempre têm lados místicos e costumam ser temas recorrentes historicamente na literatura e no teatro, e nos tempos modernos também no cinema.

Você tocará este mês no Brasil na Horror Expo em São Paulo. Você é fã de filmes de terror?

Sim eu sou. Nem tanto splatter ou gore (eu gosto de Walking Dead, mas é isso) e também horror muito sangrento, mas eu realmente gosto de filmes de terror sobrenaturais, ocultos e religiosos. Estou realmente ansioso para a Expo não apenas para tocar, mas também com um interesse pessoal.

Voltando ao Brasil, como foram suas experiências com os fãs brasileiros?

Há sempre uma multidão muito calorosa e entusiasmada por lá.

Em relação a possíveis novas músicas e gravações. Quais são os próximos passos da banda?

Estamos escrevendo um novo material, então acho que gravaremos em algum momento no ano que vem.