Entrevistas

Derek Boyer (Suffocation): “devemos permanecer fiéis às nossas raízes e, ao mesmo tempo, experimentar novos ritmos”

Divulgação/Nuclear Blast

No dia 20 de junho a banda americana Suffocation se apresenta em São Paulo ao lado dos compatriotas do Atheist no Backstage Hall, na zona leste de São Paulo, como parte de uma turnê conjunta pela América Latina.
Tivemos a oportunidade de conversar com o baixista Derek Boyer, que está no Suffocation desde 2004, para falar sobre o atual cenário do death metal e as expectativas para esta turnê. Além disso, ele comentou a mudança nos vocais da banda após a saída de Frank Mullen.

Depois de mais de três décadas desde que a banda foi fundada, o que mudou no cenário do death metal extremo? O que você acha das novas bandas e o que você está ouvindo?

DEREK – Tanta coisa mudou na cena do death metal. De volta ao começo, todas as bandas tinham uma diferença única sobre elas, hoje em dia todas as bandas estão acelerando em uma guerra/corrida de tempo onde as produções são tão polidas, há uma séria falta de falha orgânica/humana para o lançamento das músicas de hoje. Não me entenda mal, a evolução é inevitável e espero que surjam bandas excelentes nos próximos anos e décadas. Eu não tenho acompanhado em nenhuma banda no momento, mas como acabei de dizer, acredito que elas estão vindo.

Com tanto tempo de estrada, as mudanças de formação são comuns em muitas bandas. Em alguns casos, reformas são bem-vindas, em outras, são necessárias adaptações. Com a chegada de Ricky Myers nos vocais, quais foram as mudanças sentidas?

DEREK- Com qualquer troca de membros, há altos e baixos … A saída do Frank foi mais difícil para os fãs que querem vê-lo, mas é claro que o apoiamos como amigo em suas decisões pessoais. Ricky Myers sempre foi amigo do SUFFOCATION e eu o conheço pessoalmente desde que éramos adolescentes. Ricky realmente intensificou seu jogo e é bom para a banda. É claro que Ricky é diferente de Frank (obviamente, não há duas pessoas com o mesmo desempenho), mas Ricky é um assassino! Ele é muito sério com relação ao SUFFOCATION, e isso é extremamente importante para nós.

 

… Of the Dark Light, lançado em 9 de junho de 2017, recebeu críticas muito positivas. Qual é o novo desafio para o próximo lançamento? Você poderia revelar algo novo para os fãs brasileiros?

DEREK- Bem, críticas favoráveis são bem vindas! … mas, verdade seja dita, gostamos do que gostamos e não gostamos do que não gostamos em nossos lançamentos. Você nunca sabe realmente o que está acontecendo até que esteja completo. Acredito que enfrentamos um desafio similar com cada esforço, devemos permanecer fiéis às nossas raízes e, ao mesmo tempo, experimentar novos ritmos e novos sentimentos que não estão tão longe de nosso caminho. Nós tentamos coisas novas com cada esforço, por exemplo, com o último registro, nós fomos mais rápido do que o SUFFOCATION já foi antes (tempos altos junto com valores de notas altas). A velocidade é sinônimo de agressão (quando se trata de death metal), mas todos nós sabemos que a velocidade por causa da velocidade carrega pouco peso por conta própria. Se você emparelhar velocidade com sincopação e criatividade, agora a velocidade carrega mais peso! De qualquer forma, estamos preparados para aceitar os desafios que enfrentamos cada vez que compomos e produzimos cada novo álbum! Nós faremos o que fazemos e isto sempre será o SUFFOCATION.