Entrevistas

Enslaved: pronto para o reencontro com os fãs brasileiros

Ivar Bjørnson falou com o site Headbangers News sobre o show que será realizado no Carioca Club, em São Paulo, no próximo domingo (31)

Roy Bjørge/Nuclear Blast

Ivar Bjørnson falou com o site Headbangers News sobre o show que será realizado no Carioca Club, em São Paulo, no próximo domingo (31)

O fundador do Enslaved, Ivar Bjørnson, concedeu uma entrevista ao site Headbangers News para falar das expectativas para o show no próximo dia 31 de março, no Carioca Club, em São Paulo. O grupo que já foi headliner do Overload Music Fest de 2017 volta ao Brasil como parte da turnê do álbum “E” (Nuclear Blast) pela América Latina. Além disso, revelou seu gosto pela mitologia nórdica e os próximos passos da banda.

 

 

Vocês estão de volta ao Brasil em turnê para divulgar o álbum “E”, quais são as expectativas com os fãs brasileiros?

Ivar: Estamos muito animados para nos apresentarmos para nossos fãs brasileiros! Nós já estivemos por aí anteriormente em São Paulo no festival Overload – e que experiência incrível foi esta! Então agora estamos esperando ainda mais! Vamos tocar algumas coisas antigas e coisas novas, e algumas surpresas para apresentar adequadamente a história do Enslaved – desta vez vamos trazer um repertório extra longo e variado!

Como o álbum foi recebido em outros países?

Ivar: Foi muito bem recebido em todo o mundo, é nossa impressão; o que é incrível! As pessoas parecem realmente responder bem à abordagem progressiva do som do Enslaved combinada com a preservação de nossas raízes e da história musical da banda.

Roy Bjørge/Nuclear Blast


A mitologia nórdica e os vikings estão cada vez mais em evidência graças a séries de TV e filmes. Como você observa esse fenômeno de popularidade?

Ivar: Pessoalmente eu gosto muito! É claro que existem alguns aspectos não tão autênticos, e para “nerds”, vemos muitas coisas que achamos ser imprecisas, opinativas e / ou popularescas demais – mas isso são detalhes. O principal é que há um interesse nessas histórias, nessa mitologia e sua ética subjacente e visão sobre a vida e a morte que podem preencher algumas das nossas necessidades de conteúdo. Uma necessidade que está aumentando na era das selfies, reality shows e shows de talentos.

E isso afetou seu trabalho e sua música?

Ivar: Não diretamente, eu acho – mas é claro que o interesse e o reconhecimento deram uma atenção extra. E sim, é motivador ter trabalhado com esses temas por tantos anos, mais ou menos “sozinhos”, e agora ver isso se consolidando também no “mainstream”.

A banda comemora 28 anos de carreira, como é estar tanto na estrada? Você pode dizer como foi esta trajetória?

Ivar: É honestamente um privilégio tão grande; poder viajar, fazer shows, conhecer pessoas, fazer novas músicas, fazer shows com músicas compostas de 14 álbuns fortes e muito mais. É claro que você brinca com “viver o sonho” quando seu corpo dói por não dormir, carregando coisas em aeroportos e assim por diante – mas há uma verdade nisso – estou fazendo exatamente o que meu sonho é. Acho que tivemos um crescimento constante, é claro, com alguns altos e baixos, mas sempre fizemos nossa parte em nossas premissas. Nós não podemos pedir mais.

Vocês são uma das únicas bandas do black metal norueguês que nos anos 90 não se envolveram com os casos de caos e tragédia que afetaram o surgimento do gênero musical em seu país. Como você viu o lançamento do filme “Lords of Chaos”, de Jonas Åkerlund?

Ivar: É nostálgico e um pouco triste. O Black Metal têm sido tão importante para mim, como fã e como músico influenciado por ele. Eu vi esse gênero que eu amava tanto, artística e musicalmente (em termos de imagem, acho que ainda está forte), e esse filme marca um tipo de funeral. O Black Metal está morto, viva o Black Metal!

Você assistiu o filme?

Ivar: Não. Åkerlund é livre para arruinar o Black Metal, mas eu não vou estar lá para assistir.

Quais são os planos do grupo para o futuro? Você pode revelar alguma novidade?

Ivar: Estamos trabalhando em novos materiais enquanto falamos, então fique ligado para mais novidades sobre isso! Em breve! E claro, continuando em turnê! Obrigado pelo seu apoio!


SERVIÇO:

Banda convidada: Basalt
Data: 31 de março de 2019 (Domingo)
Local: Carioca Club
Endereço: Rua Cardeal Arcoverde, 2899 (próximo ao metrô Faria Lima)
Horário: 18h (open doors) | 19h (showtime)
Imprensa: press@theultimatemusic.com | 11 964.197.206
Evento Fb: https://www.facebook.com/events/231078674213779/
Classificação etária: 16 anos. Entre 14-16 anos somente acompanhado por pai ou mãe munidos de documentos.
Capacidade: 1000 lugares
Estacionamento: nas imediações (sem convênio)
Estrutura: ar condicionado, acesso para deficientes, área para fumantes

# SETORES / PREÇOS
– Pista meia/promocional*: R$60
– Camarote meia/promocional*: R$ 95
*O ingresso promocional antecipado é válido mediante a entrega de 1 kg de alimento não-perecível na entrada do evento.

# COMPRA PELA INTERNET – https://www2.clubedoingresso.com/evento/enslaved-sp
# PONTO DE VENDA OFICIAL (sem taxa de serviço – pagamento apenas em dinheiro): Carioca Club e Galeria do Rock (Paranoid Records)
# PONTOS AUTORIZADOS: Barueri, Belo Horizonte, Curitiba, Guarulhos, Osasco, Rio de Janeiro, Santo André, São Caetano do Sul e São Paulo (http://www.clubedoingresso.com/ondecomprar)

* Para a compra de ingressos para estudantes, aposentados e professores estaduais, os mesmos devem comparecer pessoalmente portando documento na bilheteria respectiva ao show ou nos pontos de venda. Esclarecemos que a venda de meia-entrada é direta, pessoal e intransferível e está condicionada ao comparecimento do titular da carteira estudantil no ato da compra e no dia do espetáculo, munido de documento que comprove condição prevista em lei;
** A produção do evento NÃO se responsabiliza por ingressos comprados fora do site e pontos de venda oficiais;
*** É expressamente proibida a entrada com câmeras fotográficas e filmadoras profissionais ou semi-profissionais.