Notícias

Discos de vinil devem superar CDs pela primeira vez desde 1986

Antiga loja His Master's Voice (HMV) em Londres

Jéssica Mar


Antiga loja His Master's Voice (HMV) em Londres

Na década de 1980, o Vinil se viu ameaçado quando os CDs foram inventados. Em poucos anos, o formado em CD se tornou padrão para a distribuição de música, superando os LPs em 1986. Os CDs lideraram a indústria por quase 30 anos, mas tiveram uma grande queda com o  surgimento das plataformas de streaming, e continuam a perder cada vez mais espaço com a nova onda retrô que está ressuscitando o vinil, que deve superar a venda de CDs neste ano.

Os LPs estão voltando com tudo graças a alguns artistas, principalmente dos grupos de rock clássicos. Os Beatles, por exemplo, venderam mais de 300 mil discos em 2018, enquanto Pink Floyd, David Bowie, Fleetwood Mac, Led Zeppelin, Jimi Hendrix e Queen venderam mais de 100 mil cada, segundo a revista Rolling Stones.

Muitos artistas estão investindo em lançamentos e relançamentos no formato Long Play e também em K7, que está se tornando mais um item para os colecionadores. Fábricas como a brasileira Polysom, fundada em 1999, estão com toda a força para relançar clássicos da época dos aos 80 e também investindo em lançar novos álbuns de artistas de todos os estilos (A fábrica produz vinis para a Universal Music, Sony Music, Som Livre e também para a sua proprietária Deckdisc).

A Recording Industry Association of America’s (RIAA) lançou um documento mostrando que as vendas de CD caíam três vezes mais do que o aumento na venda de vinis. Em fevereiro, o RIAA mostrou que a venda de discos de vinil correspondem a mais de ⅓ da venda de artigos físicos.

A tendência continuou no documento com dados do primeiro semestre lançado pela RIAA, divulgado na última semana. As vendas de vinis renderam US$ 224,1 milhões (em 8,6 milhões de unidades) nos primeiros seis meses de 2019, chegando perto dos US$ 247, 9 milhões (em 18,6 milhões de unidades) do CD. A receita dos vinis cresceram 12,8% na segunda metade de 2018 e 12,9% na primeira de 2019, enquanto a receita de CDs quase não se mexeu. Se essas tendências continuarem, discos de vinil vão logo começar a gerar mais dinheiro do que os CDs. Já as assinaturas pagas dos serviços de streaming geraram 62% das vendas da indústria, e continuam a dominar.

Jéssica Mar


O mercado de vinil já é maior do que CDs se levar em conta o comércio de vinil usados em lojas de discos e online. E muitas lojas independentes que vendem discos novos de vinil não se reportam ao SoundScan – o contador oficial de todas as músicas vendidas nos EUA. Em junho, a revista Rolling Stone publicou um ranking dos álbuns mais vendidos em formato de LP no ano de 2019:

Veja abaixo a classificação de vendas:

Top 10 de vendas de Vinis em 2019 
1. Queen, Bohemian Rhapsody (Trilha-sonora) (61,000)
2. Queen, Greatest Hits (49,000)
3. Billie Eilish, When We All Fall Asleep, Where Do We Go? (47,000)
4. Trilha Sonora de Guardians da Galáxia: Vol. 1 (33,000)
5. The Beatles, Abbey Road (33,000)
6. Pink Floyd, The Dark Side of the Moon (32,000)
7. Bob Marley & The Wailers, Legend (30,000)
8. Fleetwood Mac, Rumours (29,000)
9. Michael Jackson, Thriller (29,000)
10. Billie Eilish, Don’t Smile at Me (28,000)

 

Loja do estúdio Abbey Road em Londres

Jéssica Mar


Loja do estúdio Abbey Road em Londres