Resenhas

Berserker

Amon Amarth

8.0

A banda sueca de death metal Amon Amarth apresenta seu 11º álbum da carreira com um bom equilíbrio entre as letras e melodias, que consegue ser feroz e brutal em alguns momentos, ao mesmo tempo empolgante e reflexivo em outros.

O grupo explora elementos históricos interessantes, como por exemplo na faixa “The Berserker at Stamford Bridge”, que conta a história de uma batalha entre vikings e soldados ingleses e os esforços heroicos de um guerreiro berserker (termo para os guerreiros nórdicos que possuíam uma fúria incontrolável nas batalhas).

As faixas “Mjölner, Hammer of Thor”, “Crack the Sky”, “Valkyria” e “Raven’s Flight” são outros destaques, mas cabe ressaltar como ponto negativo que por vezes o álbum soa repetitivo, problema recorrente com muitas bandas com o som mais extremo. Mas se você gosta, é certeza de ter músicas rápidas e pesadas.

Creio que este novo trabalho do grupo cairá nas graças dos headbangers mais tradicionais. Apesar da falta de variedade, este álbum adiciona mais um capítulo de faixas épicas à discografia do Amon Amarth, que segue escrevendo seu nome no panteão dos grupos já consagrados do gênero musical.