Resenhas

Born to Perish

Destruction

9.2

O Destruction conseguiu o que parecia impossível, aumentou ainda mais o seu poder de fogo com as aquisições de Randy Black e de Damir Eskić para suas fileiras.

Como anunciado na véspera do lançamento, em entrevista exclusiva com o vocalista e baixista Schmier, a banda soa ainda mais brutal. E como Randy Black está soando integrado ao grupo!

Sua bateria eleva ainda mais o padrão da banda, que apresenta um trabalho coeso e perfeito em todos os níveis. Assim como o guitarrista Damir, o outro estreante nas gravações com o grupo, que acrescenta solos perfeitos a toda a parafernália sonora já conhecida desta banda notória banda alemã. Os riffs de Mike e a voz rasgada de Schmier, assim como seu baixo, tão o tom do thrash alemão que conhecemos tão bem em sua essência: sujo e agressivo.

Me arrisco a dizer que este é um dos melhores álbuns da carreira da banda, pois em nenhum momento soa forçado ou repetitivo. O grupo se modernizou, sem perder a atitude e a gana. Trouxe elementos novos ao seu som, sem perder sua identidade e assim mantém sua importância entre as bandas contemporâneas do gênero.

Destaco como as melhores do álbum: Born to Perish, Inspired by Death, Rotten e Butchered for Life. Mas vocês mesmos tirem suas próprias conclusões, pois é um trabalho rico e diverso, que vai transcender o gosto dos apreciadores do tradicional thrash alemão e talvez até atraia novos adeptos que curtem outros gêneros.