Resenhas

End of Chaos

Flotsam and Jetsam

8.5

Uma das bandas mais autênticas do thrash metal dos anos 80 retorna em grande estilo com um álbum que demonstra um grande refinamento nas composições e o entrosamento fantástico em sua atual formação. Os integrantes originais Michael Gilbert (guitarra) e Eric A.K. Knutson (vocalista), apresentam este novo trabalho ao lado de Michael Spencer (baixo), Steve Conley (guitarra) e do baterista Ken Mary (ex-Alice Cooper, Accept e Chastain), recrutado para substituir Jason Bittner, que entrou no Overkill.

 

Logo de cara, a faixa de abertura “Prisoner of Time” combina uma letra que nos leva a refletir: “viva sua vida sem arrependimentos, não seja um prisioneiro do tempo”. As composições são mais diretas e as músicas são mais curtas do que as apresentadas em seu penúltimo trabalho “Ugly Noise”.

Cabe destacar a velocidade com que são executadas as canções “Snake Eye” e “Good or Bad”, assim como “Unwelcome Surprise” e “Recover”, que não ficam atrás neste quesito.

A voz de Eric A.K. soa bem em todas as faixas, sem parecer forçado ou pretensioso. O que temos aqui são 11 músicas do mais puro thrash, direto, sem firulas ou “inovações” que soem estranhas aos fãs mais tradicionais.

É um álbum de respeito, honesto e talvez um dos melhores já lançados pelo Flotsam and Jetsam nos últimos tempos.