Resenhas

Queen Of Time

Amorphis

9.0

O novo trabalho do Amorphis, Queen Of Time, é difícil de definir e de rotular. Com uma atmosfera rica e multifacetada, a principal característica que se destaca é a composição que demonstra uma maturidade acima da média. A complexidade composicional não se sobrepõe ao momentos de peso inerentes do heavy metal.

Os vocais de Tomi Joutsen, a assimilação de instrumentação, aliados aos riffs de guitarra, são combinados de forma harmoniosa, com um resultado extremamente eletrizante. Uma imensa gama de sons de flauta, saxofone, orquestra, vocais folk, coro completos e das guitarras convencionais fazem de “Queen Of Time” cativante e inovador.
A nova contribuição de Chrigel Glanzmann (Eluveitie) é ainda mais marcante do que em Under The Red Cloud, álbum do Amorphis lançado em 2015, e agora Jørgen Munkeby se junta à lista de convidados com seu extraordinário saxofone, além de vários outros vocalistas convidados.
Os fãs da banda da última década se sentirão recompensados pela audição deste ábum que fica melhor a cada vez que você aperta o “play”.