Resenhas

Revelation

Michael Schenker Fest

7.0

Michael Schenker, lenda da cena hard rock com passagens pelo UFO e Scorpions, surge com sua mais recente tentativa de reviver a chama de suas proezas musicais do passado com o projeto Michael Schenker Fest. O novo trabalho reúne os talentosos vocalistas Gary Barden (Michael Schenker Group), Graham Bonnet (Michael Schenker Group, Rainbow), Robin McAuley (McAuley Schenker Group), e Doggie White (La Paz, Ritchie Blackmore’s Rainbow, Yngwie Malmsteen’s Rising Force).

Em uma primeira audição, a impressão que se tem é de uma tentativa de unir o estilo de rock do passado e dar uma roupagem mais “moderna”, mas fica muito aquém das expectativas. Assim, a profusão de vocalistas renomados não são sinônimo de qualidade, apesar de ter sido muito bem produzido e mixado. Não estou afirmando que todos estes talentos estão sendo desperdiçados neste registro, a música “Sleeping With the Light On” pode ser destacada como a mais vibrante. A experiência e o estilo inconfundível da guitarra de Schenker se faz presente com uma musicalidade impecável.

Ouvindo o álbum com cuidado, podemos perceber que há uma “alternância de poder” entre os vocais e guitarras em todas as composições. Mesmo assim, esperava mais de um músico tão lendário que ficou atuando em sua zona de conforto ao compor estas canções. Isto acaba deixando o disco previsível, com exceção de Ascension, um quase “power metal” que dá ares de modernidade e dá mais velocidade a um amontoado de faixas que parecem sem graça e sem brilho.

Tenho muito respeito pelo legado de Schenker, que já detonava com sua guitarra antes de eu nascer, mas há muita proximidade deste trabalho com o que muitas boas bandas genéricas de hard rock têm feito por aí. No caso de um rockstar como ele, realmente achei que ficou faltando algo mais.