Resenhas

Songs of Love and Death

Me and That Man

9.0

Sou fã confesso da banda Behemoth, gosto muito de Black Metal e nos últimos tempos me deparei com um álbum que não consigo parar de ouvir. "Songs of Love and Death" (2017), o projeto paralelo "Me and That Man" de Adam Darski, o vocalista "Nergal" da famosa banda polonesa.

A parceria com John Porter, músico britânico que vive na Polônia desde 1976, traz à tona uma sonoridade totalmente diferente do Behemoth, que se aproxima do folk e da country music, mas ainda assim com sua tendência profana nas letras evidentemente niilistas de faixas como “My Church Is Black” e “Cross My Heart And Hope To Die”.

“Shaman Blues”, “Voodoo Queen” e “Nightride” são outras pérolas do blues e western music, uma grata surpresa para um headbanger que gosta de ouvir música barulhenta no último volume, mas reconhece o talento de músicos competentes.

A parceria conseguiu sair do lugar comum com êxito e apresentar um lirismo baseado no desajuste ao estado das coisas, a tristeza existencial e a angústia. O show à parte fica por conta dos arranjos instrumentais autênticos e melodramáticos mostrando o outro lado de um dos “mestres” do metal extremo da atualidade.

Como admirador confesso de Johnny Cash, absorvi tudo que as letras soturnas do álbum transmitem, com pitadas infernais em seu bojo. Uma advertência aos fãs de Behemoth, o que é tocado neste álbum não é metal, mas é muito bom!