Resenhas

The Sacrament of Sin

Powerwolf

8.5

Confesso que tinha uma lacuna em minha coleção, ainda não tinha ouvido nenhum álbum completo da banda alemã Powerwolf até então. Grata surpresa ao receber a incumbência de resenhar o álbum "The Sacrament of Sin", lançado oficialmente no dia 20 de Julho de 2018 pela Napalm Records.

Já havia tido uma boa primeira impressão ao ouvir “Demons Are a Girl’s Best Friend”, primeiro single deste disco que foi lançado com um videoclipe visualmente muito interessante.
O sétimo álbum da carreira do grupo, foi gravado no Fascination Street Studios em Örebro, Suécia, com produção de Jens Bogren, que já havia trabalhado anteriormente com bandas como Kreator, Sepultura, Paradise Lost e Fragonforce.
Com músicas orquestradas e letras com conteúdo que envolve o catolicismo, lobisomens e insinuação sexual, que acabam criando uma atmosfera melódica e ao mesmo tempo sinistra. Aliás, o destaque são os arranjos vocais e dos teclados. O grupo conseguiu evitar que os elementos melódicos ficassem previsíveis, repetitivos ou até mesmo rotulados.
As participações especiais de Mille Petrozza, das bandas Battle Beast, Kadavar, Amaranthe, Eluveitie, Epica, entre outros são atrações à parte num álbum muito bem produzido desde seu conceito inicial.