Resenha de Show

Angra realiza show revigorante e poderoso em São Paulo

Carlos Pupo/Headbangers News

Na noite do dia 2 de Julho no Tokio Marine Hall, em São Paulo, a lendária banda de power metal brasileira Angra, formada em 1991 e completando 30 anos de existência nos agracia com uma apresentação na íntegra do álbum Rebirth, como parte da turnê comemorativa de seus 20 anos de lançamento. Foi uma noite memorável e repleta de clássicos fizeram parte da cultura jovem headbanger no inicio deste século.

Com a abertura dos mineiros da banda Medjay, que apresentou um som muito original de power metal, com influências e elementos da cultura do Oriente Médio focados a cultura egípcia, a banda surpreendeu no quesito performance ao mesmo tempo que se notou pequenas “barrigas” na mesma. Um setlist curtíssimo, mas que posso afirmar com certeza que ajudou a cativar o público. É muito interessante ver o cuidado visual e performático do grupo para acentuar toda proposta, apesar de ainda não conseguirem muito bem encaixar o papel da instrumentação típica de Marco Herrera dentro da performance teatral da banda. Inclusive, me chamou muito a atenção algo que na minha visão é importantíssimo para uma banda cativar público: a imersão.

Os vocais de Phil Lima são excelentes e fortes. Visualmente falando, em certos momentos parece que estamos assistindo a um show do André Matos em 1993. Acredito que ouviremos muito ainda sobre a Medjay futuramente, que entregou uma boa apresentação, fazendo assim um excelente “esquenta” para o aniversariante Angra.

Após uma longa pausa para a preparação do palco e segunda chamada de uma peralvilhada propaganda, o Angra sobe ao palco ao som de “Nothing To Say”. Parece até um recado ao clipe anterior, mas realmente essa faixa do álbum “Holy Land” é praticamente uma chamada para ação!

Lione estava impecável. A banda acompanhada da percussão de Guga Machado junto a bateria de Bruno Valverde traziam uma riqueza absurda à famosa “cozinha” nas músicas ali interpretadas.

Ao início execução do album “Rebirth”, ouvimos a introdução com o famoso violino de In Excelsis – que é o prelúdio da faixa “Nova Era”, um dos hinos só Angra. O público foi ao delírio, mas não ao frenesi final. Em “Acid Rain” não foi necessário nem ao menos esforço do coral de início, afinal o público retumbantemente cantava “Misererebus sanctus…Peccatoribus hominus” . Ou como era traduzido antes da internet, “E seremos Santos … e Católicos Amigos”. Difícil não fazer um faixa a faixa desse show, pois “Rebirth” é quase que inteiramente composto com clássicos. Como as canções que se sucederam, “Heroes of Sand” e “Unholy War”, músicas que mantiveram a plateia em êxtase absoluto. .
Em um dado momento chegamos a execução da faixa-título “Rebirth”, com um piano surgindo no palco com a convidada Juliana D’Agostini, do programa infantil “O Piano Magico da Ju” da TV Cultura, que enobreceu mais ainda toda performance do evento. Juliana permaneceu no palco para mais duas canções “Judgement Day” e “Running Alone”. A seguir veio “Visions of Prelude”.

Dando seguimento ao evento, ocorrem as execuções de “The Curse of Nature” do álbum “Aurora Consurgens’’, de 2006, e o som poderoso de “ Metal Icarus”, do álbum “Fireworks”, que magicamente nos faz sair do chão com tamanha energia emanada das guitarras e da bateria.

Em “The Shadow Hunter”, do álbum “Temple of Shadows”, Rafael Bittencourt “esmerilha” nos violão flamenco, algo realmente lindo.

Depois disso, vem “The Rage Of The Waters” do álbum Aqua e então somos levados de volta para o álbum “Rebirth” com “Bleeding Heart” – fechando assim a reprodução completa do álbum aniversariante e abrindo o seguimento final do show.
“Upper Levels” do álbum “Secret Garden“ anuncia o fim do espetáculo – isso para os mais desavisados, afinal ainda faltava o maior sucesso da banda – e então acompanhados do retorno das luzes de palco ouvimos as guitarras de “Carry On” – o hino do power metal brasileiro que age como uma explosão de energia para os espectadores que cantam junto cada sílaba emitida por Fábio Lione.
Definitivamente, esta apresentação e toda essa turnê é algo que nenhum fã da banda vai esquecer. Um verdadeiro espetáculo performático e sonoro. Espero que tenham gostado assim como eu gostei, mesmo não sendo um grande fã da banda. Preciso dizer que foi um show revigorante e poderoso.

*Fotos: Carlos Pupo/Headbangers News

Galeria de Fotos

Setlist Medjay:

1. Shemagh In Blood
2. Sarcophagus
3.Cleopatra VII
4.Sandstorm
5. Return of the Medjay

 

Setlist Angra:
1.Nothing To Say
2.Black Widow’s Web
3. Nova Era
4. Millennium Sun
5. Acid Rain
6. Heroes Of Sand
7. Unholy Wars
8. Rebirth
9. Judgement Day
10. Running Alone
11. Visions Prelude
12. The Course Of Nature
13. Metal Icarus
14. The Shadow Hunter
15. The Rage Of The Waters
16. Bleeding Heart
17. Upper Levels
18. Carry On


Tokio Marine Hall

Data: 02/07/22

R. Bragança Paulista, 1281