Resenha de Show

Emperor encontra pela primeira vez com os fãs de São Paulo

Carlos Pupo/Headbangers News

O grande encontro chegou. Conhecido mundialmente como um dos fundadores do Black Metal, Emperor, trouxe com eles o frio da Noruega e o som lúgubre de suas guitarras.
Após 30 anos, como nós já citamos aqui (https://www.headbangersnews.com.br/noticias/emperor-reagenda-show-no-brasil-para-2022/) e dois reagendamentos, finalmente foi possível prestigiar essas lendas do Metal Negro, com um espetáculo que alguns consideraram um dos melhores shows do gênero realizados no Brasil nos últimos tempos.

Iniciando a abertura da casa às 19h e com previsão de inicio às 20h, a banda Lockdown formada por João Gordo, Antônio Araújo, Bruno Santin e Rafael Yamada (que nesta noite não pode comparecer e foi substituído Wescley Ferraz), entra com atraso de 20 minutos. Introduzidos por Marcelo Pompeu (Korzus), o mestre de cerimônias da noite, o grupo abre o show ao som de Archangel – faixa inclusa no EP “Unholy Ceremony Heretic”, carregado de variações de tempo e de um death metal técnico moderno, ao estilo Hate Eternal.
A energia de Antônio e de Bruno são os pilares do supergrupo e ficam explícitas no palco. Encerrando a primeira fase, João Gordo deixa os palcos e então Antonio assume como vocal e front para bis que veio com um tributo destruidor de ‘Rainning Blood’, do Slayer.

Às 21h25 o Emperor assumiu o palco de maneira soturna e envolto em uma “névoa”. Então vimos surgir Ihsahn, Samoth, Trym Torson, o tecladista Jorgen Munkeby e o baixista Ole Vistnes, que intregra o grupo desde 2020 para turnê. Ao som de In The Wordless Chamber era possível ver o quão os headbangers estavam maravilhados com aquela aura. Afinal seria aquela noite a sua primeira em solo brasileiro e a última de suas carreiras?
Logo vieram outros sucessos e clássicos como “Thus spake the Nightspirits”, “Ensorcelled by Khaos”, “The Loss and Curse of Reverence” e outras do álbum “Anthems to the Welkin at Dusk”. Também tivemos privilégio de ouvir “Towards The Pantheon”, “I Am The Black Wizards” e “The Majesty Of The Night Sky”, “I Am The Black Wizards” do álbum “In the Nightside Eclipse”, e “Wrath Of The Tyrant”, “Curse You All Men!”. Esta foi a única do “IX Equilibrium” tocada no show deixando várias outras de fora.
O encerramento veio com o bis de “Ye entrancemperium” e “Cosmic Keys to My Creations & Times” – considerado o “clássico dos clássicos” do Emperor.

Nota: Em aspectos técnicos do som, o espaço não agradou. Em nenhuma das bandas era possível ouvir com clareza os instrumentos, chegava ao ponto de ouvir somente a massa sonora as notas base (os tons). As guitarras ou o contra baixo não eram ouvidas com clareza razoável, algo que me decepcionou, tendo em vista o tamanho da casa. No entanto, o espetáculo valeu! Ver o Emperor com certeza é a experiência que todo headbanger que aprecia o Black Metal desejava ter.

Galeria de Fotos

SETLIST LOCKDOWN:

ARCHANGEL
HYMN OF HATE
UNHOLY CEREMONY HERETIC
BLACK DEMONS REIGN
DESPREZO
MÁQUINA MILITAR
RAINNING BLOOD (Slayer Cover)

SETLIST EMPEROR:

IN THE WORDLESS CHAMBER
THUS SPAKE THE NIGHTSPIRIT
ENSORCELLED BY KHAOS
THE LOSS AND CURSE OF REVERENCE
THE ACCLAMATION OF BONDS
WITH STRENGTH I BURN
CURSE YOU ALL MEN!
TOWARDS THE PANTHEON
THE MAJESTY OF THE NIGHTSKY
I AM THE BLACK WIZARDS
INNO A SATANA

YE ENTRANCEMPERIUM
COSMIC KEYS TO MY CREATIONS & TIMES


Audio

Data: 20/05/22

Horário: 19h

Av. Francisco Matarazzo, 694 - Barra Funda