Resenha de Show

Over Metal Fest: Homenagens, estreia e uma grande noite de celebração em SP

Vitor Rodrigues e Mayara Puertas cantam juntos durante o show do Torture Squad

Carlos Pupo/Headbangers News

Vitor Rodrigues e Mayara Puertas cantam juntos durante o show do Torture Squad

Há quanto tempo você não assiste um show presencial de heavy metal em São Paulo? A retomada têm sido tímida, mas temos bons exemplos como o que aconteceu no último sábado, 11 de Dezembro de 2021, no Fabrique, na capital paulista.
O Over Metal Fest trouxe três nomes de peso do metal nacional com a veterana Attomica, surgida nos anos 80 em São José dos Campos (SP), o thrash/death da banda paulistana Torture Squad, que está na estrada desde os anos 90, e uma estreia muito especial, do The Troops of Doom, cujo grupo foi formado durante a pandemia em 2020, mas possui Jairo “Tormentor” Guedz como um dos destaques, o primeiro guitarrista do Sepultura.
Além de todos estes ingredientes, temos o desafio de uma retomada com todos os protocolos de segurança (e o desafio de fazer todo mundo obedecê-los). As medidas de segurança que cabiam à organização foram tomadas e foi exigida a comprovação da vacina contra a Covid-19.
A primeira banda a subir no palco foi o Attomica enquanto a casa de shows ainda enchia e as pessoas começavam a chegar. Quase metade dos ingressos já haviam sido vendidos antecipadamente. A apresentação dos joseenses dispensa comentários, com o thrash metal direto, duro, sem concessões. Assim como a participação de Vitor Rodrigues (ex-Torture Squad e Voodoopriest), que ainda subiria ao palco mais algumas vezes na mesma noite.

Alex Kafer e Jairo Guedz (d) na estreia do The Troops of Doom nos palcos

Carlos Pupo/Headbangers News

Alex Kafer e Jairo Guedz (d) na estreia do The Troops of Doom nos palcos

Na sequência o público presenciou a estreia de uma banda que parece ter tudo pra ganhar o mundo e já com contrato assinado com a Blood Blast, subsidiária digital da gravadora alemã Nuclear Blast. The Troops of Doom fez o primeiro show da carreira com Alex Kafer (vocal e baixo), Jairo Guedz (guitarra), Marcelo Vasco (guitarra) e Alexandre Oliveira (bateria).
Com dois EPs já lançados, “The Rise of Heresy” (2020) e “The Absence of Light” (2021), colocou o público pra banguear e pudemos ver aquelas rodas características dos shows de metal pré-pandemia. Com um apuro técnico e com uma precisão de quem teve que esperar muito tempo para se apresentar pela primeira vez, os caras fizeram um show com “a faca entre os dentes” e empolgaram em diversos momentos. E quando tocaram “Antichrist” e “The Troops of Doom”, dos tempos de outrora de Guedz no Sepultura, a casa de shows quase veio abaixo.
Depois disso, para um encerramento em grande estilo vimos o Torture Squad. Foi um show emocional e com a participação de Vitor Rodrigues, vocalista que deixou o grupo em 2012, que atualmente está à frente do Tribal Scream e leva adiante seu projeto Victorizer. Aliás, Mayara Puertas destacou a importância desta apresentação com o retorno da banda aos palcos e também a influência de Vitor em sua carreira.
Pontuou as dificuldades que músicos e equipes de apoio sofreram com todas as paralisações e a preocupação que havia e ainda há com o futuro. Tanto que frisou para que todos mantivessem suas máscaras e não se descuidassem.
Ao final, houve uma grande confratenização entre as bandas. Todos se juntaram de improviso e tocaram “(We Are) The Road Crew” para homenagear a sofrida equipe da “graxa”, que passou os maiores perrengues com a ausência das turnês e outro clássico do Motörhead, “Overkill”.
Depois de tudo isso, cabe uma análise mais aprofundada. A retomada da economia está longe de acontecer devido à gigantesca taxa de desemprego do país, segundo dados recentes a taxa de desemprego no Brasil é o dobro da média mundial e a pior entre os membros do G20 (fonte: Austin Rating). Em Agosto de 2021 registrava 13,2% no trimestre encerrado em agosto (13,7 milhões de trabalhadores), segundo o IBGE. Antes da pandemia, estava abaixo de 12%. A economia brasileira recuou 0,1% no terceiro trimestre de 2021, configurando quadro de recessão técnica.
Mesmo assim, a corrida por ingressos e a presença de público têm sido acentuada com a volta do mercado do entretenimento. Toda aquela frustração pelo isolamento e pela “abstinência” de shows ao vivo têm causado este fenômeno de frenesi no retorno às atividades.
Esperamos que ano que vem possamos contar com muitos outros eventos assim, com boa presença de público e transcorrendo com tranquilidade. Para isso, é fundamental ficarmos atentos às normas e protocolos de saúde solicitados e tomarmos nossas doses de reforço das vacinas. A pandemia ainda não acabou, mas já podemos ver as nuvens desta terrível tormenta se dissipando.


Fabrique

Data: 11/12/21

Horário: 17h

R. Barra Funda, 1071 – Barra Funda