Entrevistas

MatAre: “Eu amo artistas que são completamente comprometidos e extremos. Do Die Antwoord ao Slayer”

MatAre: “Eu amo artistas que são completamente comprometidos e extremos. Do Die Antwoord ao Slayer”

20 de maio de 2024


Com um pouco de estilo americano alternativo híbrido, uma abundância de paixão emotiva e um nível inegável de lirismo de qualidade, MatAre entrou em cena de uma nova maneira. A história musical de MatAre começou como produtor de dance music. Ele “pressionou” sua própria música em vinil sob o nome artístico de “Vibal”, em que alguns discos se tornaram itens de colecionador para o público com o passar dos anos. Tudo isso aconteceu em Orlando, Flórida, durante o conhecido período “Orlando Breaks”, conquistando a atenção nacional do artista. Seu som único também decorre da habilidade de tocar instrumentos como saxofone, guitarra, baixo e teclado em seu processo de composição e em seu estúdio pessoal itinerante.

O artista concedeu uma entrevista ao HBN para contar mais sobre sua carreira e tragetória.

Olá, tudo bem? Para começar, para quem não conhece ainda MATARE, você pode contar um pouco sobre a sonoridade? O que podemos encontrar na sua música?

Oi! Meu som é nostálgico da música new wave dos anos 80 e 90, mas misturado com um pouco de cultura norte-americana. Eu tenho muita dificuldade em manter um som consistente, então cada música é realmente diferente da anterior. Eu acho que é emocionante como artista ter essa liberdade.

O álbum de estreia “Patternicity” tem 12 faixas, e atualmente o consumo de música está muito mais rápido, indo na contramão das bandas que lançam apenas singles ou EPs, qual a ideia da banda em lançar um disco cheio de faixas?

Sim, concordo totalmente que lançar um álbum não foi o ideal no mundo da música de hoje. O álbum foi um grande empreendimento e uma meta que estabeleci para mim mesmo. Queria que fosse o ponto de partida para o meu novo conceito sonoro e musical. Atualmente estou lançando singles regularmente e gosto disso também.

O single “Perfect Constant” é o primeiro após o disco de estreia, com uma energia indie rock/pop. Conte sobre este lançamento.

‘Perfect Constant’ foi lançado há algumas semanas e foi recebido com muita positividade. Recebi ótimas críticas na mídia e em blogs da América do Sul e Central e estou impressionado com o quão legais são os fãs de música que falam português e espanhol. Eu diria que há mais interesse nestas áreas do que na Europa ou mesmo no Reino Unido.

As letras contam histórias agridoces, explorando os lugares pelos quais você viaja Como foi o processo de composição?

Cada música é escrita de forma diferente. Às vezes sento com um violão e decido os acordes e a melodia. Às vezes eu começo a música e adiciono os vocais depois. Com Perfect Constant, criamos toda a música e depois escrevi várias versões da letra e da melodia. Ainda tenho a versão alternativa da música na minha cabeça, embora ela nunca seja usada.

Qual mensagem que você quer passar através da sua música?

Emoção. Eu amo artistas que são completamente comprometidos e extremos. Adoro bandas como Die Antwoord, Slayer etc. Eles são extremos e meu objetivo é ser assim também do meu jeito. Como posso ser extremo? Letras brutalmente honestas sobre minhas emoções e como me sinto. Se me sinto odioso e malvado, tento explorar por que isso está na minha música. A parte artística é que posso disfarçar em um pop de sonho agradável com guitarras estridentes e melodias cativantes.

MatAre tem um estilo distinto. Como é criar um projeto musical nos dias atuais, onde existem vários novos artistas aparecendo? 

É mais fácil que no passado, mas também mais difícil porque é mais fácil. O que isso significa? Bem, no passado um artista tinha que alinhar coisas como um distribuidor e gravadora e A&R e fundos e assim por diante. Agora, é tão fácil para qualquer um lançar música. Portanto, esta competição cria um enorme grupo de artistas que lutam por atenção. Isso torna tudo mais difícil para um artista tímido como eu. Mas sou grato por oportunidades como esta entrevista para me ajudar a compartilhar minha música!

Qual seria o diferencial do  MATARE para se destacar?

Sou mais velho e não tento esconder isso. Tenho experiência de vida real e uma história real para contar. Tenho criado músicas durante toda a minha vida e não tenho medo de ser diferente ou tentar um som ou estilo diferente. Vou apenas me divertir fazendo o que amo. Espero que isso brilhe para os fãs.

Qual é a sua maior ambição na música?

Tantos… mas um que mencionarei é que adoro trabalhar com um produtor altamente respeitado e colaborar em um projeto com ele. Quero ver como eles interpretariam meu som e me ajudariam a levá-lo a um novo nível.

Para as pessoas que estão começando na música, que conselho você pode dar? Diria algo que você gostaria de ter ouvido quando começou?

Faça muitas conexões e amigos. Construa uma comunidade. Elogie outras pessoas por suas músicas e seja fã dos outros. A maioria retribuirá isso. No final, esta é a única alegria importante e real que você terá ao tentar construir uma marca musical.

Quais os planos futuros? 

Vários outros singles para 2024 e, em seguida, planejamos agrupá-los em um álbum físico e lançamento em vinil. Estou animado por ter um disco que você pode ter em mãos com arte e design reais.

Pode deixar uma mensagem para nossos leitores e os fãs brasileiros da banda?

Muito obrigado aos fãs no Brasil. Espero visitar em dezembro próximo, então estou ansioso para visitar o máximo de lojas de discos que puder.