Notícias

Em edição reagendada do Rock in Rio, organização mantém Iron Maiden como atração do Dia do Metal

Carlos Pupo/Headbangers News

Iron Maiden, Megadeth, Dream Theater e Sepultura, eram bandas que já haviam sido anunciadas como atrações da edição do Rock in Rio de 2021 que foi adiada por causa da pandemia de Covid-19. Hoje elas foram confirmadas pela organização no lineup da edição de setembro de 2022 na capital fluminense. O festival ocorre nos dias 02, 03, 04, 08, 09, 10 e 11 de setembro do ano que vem (o “Dia do Metal” será dia 02, abrindo o festival).

Com isso, a expectativa será da apresentação do Maiden com seus clássicos e com as novas músicas de seu novo álbum de estúdio “Senjutsu”, que deve chegar às lojas e as plataformas de streaming no dia 3 de setembro de 2021. Este é o 17º álbum de estúdio da banda e esta será a quinta participação do grupo no evento, com shows memoráveis ​​de 36 anos de carreira.

Bruce Dickinson declarou: “Quando nos ofereceram a chance de voltar ao Rock in Rio ano que vem e ser a atração principal da noite de abertura de novo, é claro que todos concordamos imediatamente. Os fãs do Maiden sabem que este festival é muito especial para nós por causa de nossa longa história compartilhada. A vibração carioca é única e a paixão da multidão nunca deixa de eletrizante. Nós nos divertimos muito tocando o show da (turnê) Legacy da última vez, você só terá que esperar e ver o que planejamos para 2022…. Tudo o que direi é – enquanto você nos quiserem (e o Eddie), continuaremos voltando para ver vocês no Brasil!”.

A primeira visita do Iron Maiden ao Brasil foi como convidado especial do Queen na noite de abertura do primeiro Rock in Rio em 1985, retornando para outro show como headliner em 2001 em sua turnê Brave New World, que acabou se tornando um DVD. Retornaram em 2013 na turnê Maiden England, esgotando em poucas horas todos os 100.000 ingressos, uma situação que se repetiu em 2019 na turnê Legacy of The Beast.

Pelo visto a organização do Rock in Rio não quis arriscar nestes tempos de incerteza econômica e de crise sanitária, preferindo apostar nesta tradição e na devoção dos “maiden maníacos”.