Notícias

Ex-baterista do Judas Priest, Dave Holland, morre aos 69 anos

Após cumprir pena de 8 anos pelo abuso de um adolescente, Holland viveu seus últimos dias recluso em um vilarejo espanhol onde era descrito pelos vizinhos como uma pessoa

Reprodução/Live Aid/MTV

Após cumprir pena de 8 anos pelo abuso de um adolescente, Holland viveu seus últimos dias recluso em um vilarejo espanhol onde era descrito pelos vizinhos como uma pessoa "muito amável e correta".

O jornal espanhol El Progreso noticiou nesta segunda-feira, 22, o falecimento do ex-baterista do Judas Priest Dave Holland aos 69 anos. A causa da morte não foi revelada, mas teria ocorrido no dia 16 de janeiro no Hospital Universitario Lucus Augusti na cidade de Lugo, Espanha. Seu corpo teria sido cremado, ainda de acordo com o jornal.

O músico vivia há anos em Fonsagrada, na província de Lugo, nordeste da Espanha, depois de ter sido condenado e passar vários anos em uma cadeia britânica pela tentativa de abuso sexual de um adolescente.

Holland recebeu a sentença de oito anos de prisão em Janeiro de 2004 pela tentativa de estupro de um garoto de 17 anos em sua casa em Northamptonshire, Inglaterra, enquanto dava aulas de bateria. O abuso teria sido revelado em uma carta escrita pelo jovem a seus pais.

Durante o julgamento, ele se declarou inocente de todas as acusações e sublinhou que simplesmente tinha sido amigo da vítima. Além da sentença, o músico teve que pagar os custos do processo judicial, depois de ter sido forçado a vender sua casa de campo para pagar suas dívidas financeiras.

Holland entrou para o Judas Priest em 1979 e ficou na banda por uma década, tocando em álbuns clássicos como “British Steel” (1980), “Point Of Entry” (1981), “Screaming For Vengeance” (1982), “Defenders Of The Faith “(1984),” Turbo “(1986) e” Ram It Down “(1988). Em sua saída do grupo, em 1989, foi substituído por Scott Travis.