Notícias

Headbangers News Indica: lançamentos de rock e metal de bandas independentes

Headbangers News apresenta os melhores lançamentos de Rock e Metal das bandas independentes com um mix de músicas essenciais que você precisa conhecer. Talvez você até descubra uma nova banda preferida para adicionar na playlist. Confira todas as indicações em nossa playlist no Youtube.

 

01 – Late TV – “Fools Fools Fools”

A banda de new wave Late TV compartilha o mais recente single, intitulado “Fools Fools Fools”, continuando sua exploração da condição humana com a extravagância de synth-funk.

Com “Fools, Fools, Fools”, Late TV tem mais do que uma bela canção, um raro interlúdio musical, onde podes ouvir o talento inegável de um artista a ser descoberto sem mais delongas. Carregado por um instrumental pop eletrônico muito cativante, guiado pelo baixo que conduz o groove em uma onda de Synth-Funk New Wave. ate TV tem você dançando ao som dos tons de sintetizador de ‘Fools Fools Fools’ enquanto eles mergulham na experiência humana em uma noite fora.

Com sede em Londres, Reino Unido, mas apresentando membros de Paris, Chicago e Kidderminster e unidos por um amor por jazz, rock, funk, soul, David Lynch, Tarantino e televisão noturna trash. Late TV é a banda de moonlighting house para um clube de sonho surreal durante toda a noite, onde a pista de dança intangível muda e dobra para se tornar o cenário de um talk show transmitido para os confins do seu seletor de canais.

Acompanhe Late TV nas redes sociais:

https://latetv.co.uk/
https://www.facebook.com/theLateTV
https://www.instagram.com/late.t.v

02 – SamSeb Kierkegaard – “Luna: The Invisible Irony”

O artista britânico SamSeb Kierkegaard compartilha seu novo single “Luna: The Invisible Irony”. Com a música, ele conseguiu criar todo um mundo de fantasia que será musicalmente retratado em seu próximo EP.

Lindamente construído e espirituosamente escrito, “Luna: The Invisible Irony”, conta a história fantástica de um menino, uma garota iluminada pela lua e um monstro chamado Incerteza. No decorrer da história, o menino foge da cidade da Realidade e vagueia pela cidade dos Sonhos e da Felicidade, onde o monstro Incerteza começa a persegui-lo. Salvo pela menina que aparece ao luar, o menino agarra-se à ilusão do Sonho, não querendo enfrentar a cidade da Realidade, onde a chuva está sempre caindo, mas o monstro da Incerteza reaparece de repente para incendiar a cidade de sonho e felicidade. Nessa mistura de elementos pós-hardcore e sonhadores, SamSeb teve a influência de bandas como My Chemical Romance, My Bloody Valentine e David Bowie por seus aspectos sombrios e peculiares.

Soren Kierkegaard é o projeto criado por Samuel Lee, que é formado em filosofia e tem uma óbvia afeição pelo existencialismo. Isso exige uma colisão de punho, mas gostamos de nossa distância. Combine essa ideologia com as lendárias influências punk e grunge dos anos 90 e 2000, e você terá o som que está associado a esse jovem e muito promissor artista. Com uma sensibilidade sonhadora e emocional, a música de SamSeb é pessoal, mas identificável. E em suas próprias palavras, ‘Somente na escuridão e no desespero, vemos o esplendor da Luz.’

Acompanhe SamSeb Kierkegaard nas redes sociais:

https://www.facebook.com/samsebkierkegaard
https://samsebkierkegaard.jimdofree.com/
https://www.instagram.com/samsebkierkegaard/

 03 – Bloomfield Machine – ‘Units Of Uncertainty’

O compositor radicado no sul da Califórnia, Brian Kassan, idealizador do projeto Bloomfield Machine compartilha o novo álbum ‘Units of Uncertainty’. O arquivo progressivo entrelaça sem esforço melodias contagiantes de gêneros como rock, música eletrônica, neo-psicodelia e hip-hop para criar uma variedade de músicas instrumentais texturizadas e poderosas.

Bloomfield Machine se destaca por saber como sobrepor as coisas de uma forma interessante e criar músicas que não se tornam monótonas. Ele é capaz de casar a magia da música clássica com a intriga da música eletrônica moderna, e isso é provado neste trabalho maravilhoso. Quer seja a distorção futurística e o ar industrial de ‘Static Man’ ou a escuridão opressora de ‘Unfavorable Semicircle’, há tanto para amar neste disco profundamente imaginativo que já está disponível em todas as plataformas.

Depois de anos tocando de tudo, desde puro pop como um dos primeiros membros da banda de apoio de Brian Wilson, The Wondermints, ao pop e rock dos Beatles como membro fundador do aclamado grupo Chewy Marble, e surf, spy jazz e música supersônica lounge com a Orquestra Tikiyaki, veterano SoCal o compositor / músico Brian Kassan começou a mergulhar mais fundo em sua paixão pela música eletrônica.

 

Acompanhe Bloomfield Machine nas redes sociais:

https://www.facebook.com/Bloomfield-Machine-103682937878586/
https://bloomfieldmachine.bandcamp.com/

04 – Merry Christmas – “The Flying Trombone Sisters”

O grupo independente baseado no Japão apresenta uma peculiaridade raramente vista. Sua curiosa experimentação e abordagem juvenil em relação à música tornam o Feliz Natal um deleite único e inesperado com o single “The Flying Trombone Sisters”.

“The Flying Trombone Sisters” é uma música muito divertida, que chega acompanhada de um videoclipe mais divertido ainda. Mesmo que o título do single pudesse ser um grande nome para um conjunto de rock indie, é na verdade uma música sobre um mito de criação de três irmãs que criaram o universo inteiro enquanto faziam muito barulho, e lembra das melodias folk – a primeira vista e ouvida lembrei do grupo Cansei de Ser Sexy, mas não tem muito a ver.

“Fomos fortemente inspirados por bandas como Neutral Milk Hotel, The Music Tapes e The Microphones quando escrevemos isso. Esta é na verdade uma regravação de uma faixa muito antiga nossa que originalmente tentamos gravar nós mesmos. Basicamente, não fizemos um bom trabalho da primeira vez e queríamos ter certeza de que teria uma produção decente antes de entrar nos livros de história. Esta versão é o resultado”, comenta a banda.

Acompanhe Merry Christmas nas redes sociais:

https://www.instagram.com/merry_chr_stmas/
https://hellomerrychristmas.bandcamp.com/
https://www.facebook.com/hellomerrychristmas/

05 – Izi Phoenix – “The Man I Met”

A dupla de indie rock Izi Phoenix lança o novo single “The Man I Met”, uma canção curta e simples mas que mostra que mesmo uma formula exata pode ser bem trabalhada e trazer boas músicas.

O maior destaque em “The Man I Met” é voz sussurrada e muito grave, cantando como que contasse um segredo, um poema muito sentimental, e tudo isso acompanhado apenas de um violão. A música é repleta de sentimentos, onde é possível sentir tudo com profundidade, e entender toda a mensagem que o duo quer passar – lembra muito algumas canções do artista Tricky, que são arrastadas e recitadas, passando toda o sentimento, energia e profundidade das letras.

Uma canção intimista e muito convidativa, tocando em todos os seus sentidos. A produção é simples e bem produzida, inspirados em estilos mais calmos do rock’n’roll e pop rock. “Somos uma banda que dá às pessoas a chance e espaço para sentir. Momentos de calma em um mundo que pode ser barulhento e caótico”, comenta Izi Phoenix.

Acompanhe Izi Phoenix nas redes sociais:

https://www.facebook.com/iziphoenixmusic/?ref=page_internal
https://www.instagram.com/iziphoenixmusic/?hl=en
https://iziphoenix.com/music

06 – Fleck Projector – “Phoenix”

Começando por conta própria, o projeto canadense de rock alternativo de Jason Pritchett, Fleck Projector, chegou com um single de estreia intitulado “Phoenix”.

“Phoenix” combina fortes doses de baixo, guitarra e toques de sintetizador, onde a dupla criou uma melodia volátil. Os vocais com distorção lembram algumas canções do duo Daft Punk – assim como um pouco da sonoridade. Ordem e raiva são os dois mundos em que “Phoenix” reside. Por um lado, a melodia conduz com o propósito de manter tudo em equilíbrio. Por outro lado, existe uma chama pronta para reduzir tudo a cinzas.

Por quase três décadas, o músico de Vancouver, Canadá, tem sido um pau para toda obra, incluindo o compositor de várias bandas. Agora, Pritchett emergiu com um congestionamento altamente combustível. Para este single, Pritchett chamou o baterista Kellli Scott da banda de rock alternativo Failure.

Acompanhe Fleck Projector nas redes sociais:

https://www.facebook.com/fleckprojector/?ref=page_internal
https://www.instagram.com/fleckprojector/
https://fleckprojector.bandcamp.com/