Notícias

Memory Remains: Benediction – 26 anos de “The Dreams You Dread” e o nascimento de um clássico

Em 08 de agosto, há 26 anos, os ingleses do Benediction lançaram  “The Dreams You Dread”, o quarto full-lenght e que carrega o mesmo nome da primeira fita demo da banda, lançada no ano de 1989. Hoje, essa pérola do Death Metal noventista é tema do nosso Memory Remains,

Dois anos haviam se passaram do lançamento do disco anterior, “Transcend the Rubicon” e o quinteto foi para o “At Rhythm Studios” em fevereiro de 1995, com Crazy Al King na produção e a própria banda co-produzindo.

Para o aniversariante do dia, houve uma pequena alteração no lineup: Neil Hutton assume a bateria em lugar de Paul Brookers. Um ponto a se destacar também é que em meados dos anos 1990, se tínhamos o Poppy Punk e o pós-gurnge dominando o Mainstream, o Metal em si estava passando por profundas modificações e ainda no underground, que é o caso do “Benê”, também houve mudanças e podemos perceber isso neste play. Vamos destrinchar as onze músicas de “The Dreams You Dread”.

A pesada e densa “Down the Whores (Leave Them all for Dead)” abre o aniversariante de hoje. Sua intro bem longa, ocupa dois dos cinco minutos, com bons riffs e uma boa performance da banda em um som bem arrastado. Já “Certified…?” é bem diferente, o Death Metal rápido e visceral come solto, com algumas ineterseções com partes mais cadenciadas no meio só para quebrar o ritmo, mas tudo aqui é bem caprichado e bem tocado.

Soulstream” tem provavelmente os melhores riffs de guitarra da história da banda e temos de volta o estilo mais cadenciado e muito peso. Sonzaço. “Where Flies are Born” começa arrastadona e a medida que se desenvolve, vai ganhando um pouco de velocidade, tudo com o selo de qualidade do Benediction.

Answer to me”, tal como a anterior, começa arrastada, cresce conforme se desenvolve e termina bem densa. Uma boa música. “Grefgiver” é ainda mais arrastada e conta com ótimos riffs de guitarra, além de um belíssimo solo.

Denial” mantém o ritmo arrastadão, com muito peso e a dupla Darren Brookes e Peter Raw caprichando nos riffs. Eles estavam inspirados e deram um clima bastante sombrio. “Negative Growth”, segue a mesma linha da anterior, com bons riffs e mais ao final, a inclusão de duetos de guitarra, que se mostraram eficazes aqui.

Path of the Serpent” tem um andamento um pouco mais acelerado do que as anteriores, onde além dos riffs, eu destaco também o baixo de Frank Healy, que deu um peso ainda maior ao som. Nesta música é até possível se abrir um moshpit.

Saneless Theory” traz a banda de volta a pegada arrastada, com um bom solo. Uma música que não compromete. E fechando a obra, temos a faixa título. Onde a velocidade e a quebradeira até causa estranheza entre tanta música mais cadenciada, que não é difícil elegê-la como a melhor do álbum. Curta e grossa, com uma quebrada no andamento, mas bem breve. Essa é uma música para você entrar no moshpit como se não houvesse amanhã.

Em 45 minutos temos um bom álbum. Se não é o melhor da discografia da banda, ele tem seus bons momentos e hoje alcança essa bela marca de 25 anos. Para a nossa felicidade, a banda segue na ativa, nos deu “Scriptures“, uma obra-prima no ano passado e é mais uma das que desejamos ver em ação tão logo essa pandemia interminável chegue ao fim. Longa vida ao Benediction.

The Dreams You Dread – Benediction
Data de lançamento – 08/08/1995
Gravadora – Nuclear Blast

Faixas:
01 – Down on Whores (Leave Them all for Dead)
02 – Certified…?
03 – Soulstream
04 – Where Flies are Born
05 – Answer to me
06 – Griefgiver
07 – Denial
08 – Negative Growth
09 – Path of the Serpent
10 – Saneless Theory
11 – The Dreams You Dread

Formação:
Dave Inghram – Vocal
Darren Brookes – Guitarra
Peter Rew – Guitarra
Frank Healy – Baixo
Neil Hutton – Bateria