Notícias

Septicflesh lança o Box ‘In the Flesh – Part I’ pela Season of Mist

Season of Mist lançou um box especial com 4 CDs para ícones de metal sinfônico grego, Septicflesh. ‘In the Flesh – Part I’ apresenta os quatro primeiros álbuns da banda, ‘‘Mystic Places of Dawn‘, ‘Esoptron’, ‘Ophidian Wheel’ e ‘Fallen Temple’, agrupados em um estojo de 4 CDs, juntamente com um livreto de 16 páginas. O set foi lançado no dia 16 e está disponível no site Season Of Mist.

 

 

‘Mystic Places of Dawn’

Septicflesh estabeleceu-se como uma das principais bandas do Black Metal sinfônico, com obras-primas aclamadas pela crítica ‘Communion’ (’08) e ‘The Great Mass’ (’11). No entanto, seu álbum de estreia, ‘Mystic Places of Dawn’, foi um fenómeno de culto em sua versão original em 1994. Apresentou fortes tons de death metal ao lado de elementos que se tornaram  marcas registradas do Septicflesh. Seus vocais únicos e assombrandos, riffs de guitarra e amostras insinuando suas influências clássicas. ‘Mystic Places’ apresenta a base do metal crucial e inteligente desta banda.

‘Esoptron’

Segundo álbum de estúdio, deu lugar a interlúdios melódicos e, de repente, quebram passagens pesadas com vocais torturados e guinchados; ‘Esoptron’ mostra um jovem Septicflesh aprimorando seu ofício e consolidando-se entre a elite do heavy metal.

‘Ophidian Wheel’

Terceiro full-length dos mestres do Black Metal grego, marca uma virada crítica na carreira da banda. Neste álbum, o Septicflesh expandiu ainda mais o seu vocabulário musical e adicionou a vocalista feminina soprano, a Natalie Rassoulis. ‘Ophidian Wheel’ vê a banda se movendo ainda mais para dentro dos arranjos de metal carregados de sinfonia classica que se tornaram seu cartão de visitas.

‘A Fallen Temple’

Quarto álbum da longa carreira do Septicflesh , ocupou um espaço único na história da banda após seu lançamento original em 98. O álbum contou com re-gravações em LP. Intercaladas entre alguns dos trabalhos mais vanguardistas da banda até o momento. As atmosferas intensas, a orquestra sintetizada e os vocais soprano angelicais afirmaram a direção criativa audaciosa e ousada que a banda começou a seguir, e foi a ponte perfeita para o que estava por vir com o “Revolution DNA” de 1999.

Banda grega de death metal sinfônico, apresentou-se no Hangar 110, em São Paulo, em 2017

Carlos Pupo/Headbangers News

Banda grega de death metal sinfônico, apresentou-se no Hangar 110, em São Paulo, em 2017