Notícias

Slayer: Gary Holt concorda com Kerry King e diz que a banda ainda estava no topo quando terminou

Divulgação/Nuclear Blast Records

Prestes a lançar mais um novo play pelo Exodus, o guitarrista Gary Holt concorda com a recente declaração do seu outrora parceiro de guitarra, Kerry King, quando este afirmou que o Slayer acabou cedo demais. Em entrevista para a Metal Hammer, Holt falou sobre o fim do Slayer. Aspas para ele:

“Eu tenho que concordar. Ainda estávamos tocando no topo, estávamos matadores. A banda tinha muitos anos restantes nisso, mas eu acho que quando for a hora, é hora. Quando você decidir, afaste-se de alguma coisa, afaste-se. Não posso dizer a ninguém que eles tomaram a decisão errada. Melhor sair por cima do que sair sem conseguir tocar suas próprias músicas, e essa coisa não é fácil. Tocando ‘Angel of Death’ aos 70 anos seria muito difícil. Mas era hora de eu voltar, vamos colocar assim. Eu estava com muita saudade da minha primeira família.”

O fato de Holt e King concordarem com o fim prematuro do Slayer dá a entender que Tom Araya teve peso na ideia de a banda encerrar suas atividades em 2019, visto que o frontman falava abertamente sobre a agenda de shows sempre cheia. Em uma determinada oportunidade, ele falou com a “Loudwire” que ele travava uma luta contra a apnéia do sono e que dormia pouco quando estava em turnê. Araya também sofria de sérios problemas no pescoço, o que forçou o vocalista do Slayer a parar de bater cabeça no palco. Como Araya disse ao mesmo “Loudwire” em uma entrevista de 2016, essa intensa conexão física com a música do Slayer era incomensuravelmente importante e a ausência dela tornava a apresentação um pouco menos agradável.

O Slayer foi formado no ano de 1981, perdurando por 38 anos se destacando como uma das maiores e mais influentes bandas de Thrash Metal e foi uma das bandas do The Big 4, que contava ainda com Metallica, Megadeth e Anthrax. Lançaram onze álbuns de estúdio e sua última turnê percorreu por quase todos os continentes, com mais de 150 shows, tendo como bandas de abertura o Lamb of God e o Obituary. O Brasil foi agraciado em outubro de 2019 com duas datas durante essa tour, uma apresentação em São Paulo com o Claustrofobia abrindo e outra no palco Sunset do Rock in Rio, quando foi o headliner, tocando com Anthrax, Testament, Torture Squad, Claustrofobia e Nervosa. A apresentação derradeira da banda aconteceu na cidade de Los Angeles, em 30 de novembro de 2019 e não há nenhuma perspectiva de retorno, ao menos em um futuro próximo.

Fonte: Loudwire