Resenhas

Abandon All Faith

STRIGOI

10

Nos anos 70, uma série de crimes hediondos ocorreu no leste da Europa. Os ataques sempre aconteciam durante a meia-noite e entre tempestades. As vítimas geralmente eram garçonetes voltando para casa do trabalho. Em 1971, Ion Rîmaru foi identificado como o assassino, por causa de marcas dentárias deixadas nos cadáveres. O mais estranho era que somente durante a noite ele aparentava estar mais "lúcido". Durante o dia, Rîmaru eraintrigantemente inconsciente. Rîmaru foi condenado à morte. Após a execução, o pai de Rîmaru morreu em um acidente suspeito. Durante a investigação do acidente, descobriu-se que as impressões digitais do pai correspondiam às de um serial killer ativo nos anos 40 cujos crimes eram incrivelmente semelhantes aos de Ion Rîmaru, o nome que os locais davam a esse serial killer era STRIGOI.

Acho que não poderia haver nome melhor para a banda que velho resenha! Eu juro que não me surpreendia com um álbum de black-death assim desde “The Satanist” do Behemoth, falo isso porque “The Satanist” é uma obra completa, de aceitação da filosofia Satanista como uma forma de libertação. Aqui neste álbum, a raiva, ódio contra a mentira, possessividade e tantas coisas que nos causam revolta é a filosofia declarada nas letras, uma porrada atrás da outra, com músicas como “Parasite” que retrata as pessoas tóxicas em nossas vidas, os parasitas, que  sugam toda nossa energia com sua personalidade possessiva.

Em “Plague of the Nations” é exposto toda a desgraça e destruição que a sede de poder de uma Nação dominadora traz a suas colônias, em “Enemy of God”, bem…. ela NÃO fala sobre o diabo e em “Phantom” é exposto toda filosofia de que não há felicidade, somente o caos e o desespero, e a mais brilhante de todas “Scorn of the Father” é sobre até onde é levada a manipulação da mente como ocorreu com o Massacre de Jonestown.

Eu poderia passar horas só falando das letras, sem citar outra parte extremamente importante para total imersão nesta obra, o SOM! É simplesmente fantástico, Death Metal com blast beat bem colocados, trechos lentos e arrastados traduzindo de forma sonora os sentimentos mais negativos e odiosos possíveis. Então, vamos falar um pouco do som…

Uma Introdução perturbadora, digna de filmes de terror e logo em seguida “Phantom” abre a história contada neste álbum, uma história de dor, ódio e sofrimento… Como diria Ice Cube: “With no Vaseline “. A faixa “Nocturnal Vermin” após a introdução toma uma forma destruidora aos moldes do Death Metal a lá “Vital Remains” ,”Seven Crowns” pode te lembrar Carcass , mas tem um “tiquinho” de Dismember ali! Em “Throne of Desgrace”, com certeza é a faixa mais direta do álbum – em questões sonoras – não possui introdução, porém tem pausas marcantes que vão te fazer se levantar (se já não tiver se debatendo involuntariamente), “Carved into the Skin” é a faixa “Doom” do disco, arrastada e aterrorizante.

Em “Parasite” após sua introdução pesada e lenta de um minuto e 20 segundos, o ódio as pessoas “sangue-suga”é destilado! “Inquisition Rage” é a outra faixa que não tem muita “firula”, sem muita conversa até seus 1min40, onde o preparo do solo te apresenta um riff poderoso, que explode cabeças! “Plague of the Nation” é com certeza a faixa mais Black Metal deste trabalho, o riff decrescente em palhetada alternada ajuda muito neste aspecto, mas todo resto do som é o caótico e viceral, Ënemies of God” é , em minha opinião, a faixa mais comercial, levando em consideração sua simplicidade e mensagem direta, com certeza a mais fraca instrumentalmente.

“Scorn of the Father”, instrumentalmente brutal e caótica, e assim como “Parasite”, possui um dos mais marcantes riffs pré solo, sem contar os tempos quebrados que deixam tudo mais atordoante e para finalizar a faixa-título do álbum, “Abandon All Faith” é depressiva, assim como o conceito de inexistência de esperança retratado em sua letra, é linearmente lenta, uma verdadeira massa sonora assustadora…

Temos no line up Chris Casket, ex-guitarrista do Extreme Noise Terror, atuando como baixista e Greg Mackintosh guitarrista principal do Paradise Lost, atuando como guitarrista e vocalista. “Abandon All Faith” tem 12 faixas, das quais, eu classifico UMA MELHOR QUE A OUTRA! Vale cada segundo! Lançado em 2019 pela Nuclear Blast, o CD encontra-se disponível no Brasil pela Shinigami Records.

Faixas:

1. The Rising Horder  instrumental
2. Phantoms
3. Nocturnal Vermin
4. Seven Crowns
5. Throne of Disgrace
6. Carved into the Skin
7. Parasite
8. Inquitous Rage
9. Plague Nation
10. Enemies of God
11. Scorn of the Father
12. Abandon All Faith

Formação:

Greg Mackintosh (Vocal e Guitarra)
Chris Casket (Baixo)
Waltteri Väyrynen (Bateria – Apenas de estúdio)

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.