Resenhas

Bombenhagel

Sodom

9.0

Nove meses após o lançamento do estrondoso Genesis XIX, os alemães do Sodom retornam com o EP Bombenhagel, que será lançado pela Steamhammer em 20 de agosto, nos formatos físico (CD e Vinil) e digital. A pandemia do Coronavirus mostrou que só deixou os caras ainda mais raivosos, quase 40 anos após a banda ter iniciado suas atividades.

EPs normalmente são bem curtos mesmo e esse aqui não foge a regra, sendo ainda bem curtinho: três músicas em 14 minutos, sendo que uma delas já é conhecida do público que acompanha a banda e que dá título ao play. “Bombenhagel” é uma regravação e foi originalmente lançada no clássico álbum “Persecution Mania“, de 1987.

E para explicar o lançamento, nada melhor do que a palavra do frontman e líder da banda. Aspas para Tom Angelripper:

“Originalmente, tínhamos planejado lançar o disco a tempo para a temporada de festivais de verão deste ano, incluindo um adesivo com todas as datas da turnê confirmadas. Claro, do jeito que parece no momento, todos os shows serão adiados até 2022. Mas o EP será lançado de qualquer maneira, como um sinal de vida. Como um sinal para nossos fãs: ainda estamos por aí! A história continua “.

A produção é assinada por Harris Johns, que volta a trabalhar com a banda após longos 20 anos, mais precisamente no álbum M-16, Vamos analisar cada uma das três faixas que compõem esse breve trabalho desta que certamente é um dos pilares do Thrash Metal alemão.

A faixa de abertura ganhou uma nova roupagem em relação à sua versão original, ganhando mais tempo de duração, além de ter ficando mais encorpada e consequentemente, melhor executada. Os caras conseguiram melhorar o que já era perfeito. O produtor Harris Johns participo no solo nesta faixa.” Coup de Grace” mostra uma banda com riffs letais e uma letra que trata de questões como as mudanças climáticas, quando os headbangers reacionários souberem do que a música trata, eles podem ameaçar cancelar a banda. Bem, neste caso é até um favor que esse tipo de gente faz.

Pestiferous Posse” mostra o velho Sodom de sempre, porém com influências mais modernas e um pouco de Groove, ao menos na sua intro. Os riffs são sensacionais e não seria nenhum absurdo se essa faixa tivesse entrado no álbum “Genesis XIX“. E assim se encerra esse EP, que não dá para classificar  como espetacular, para dizer o mínimo. O defeito dele é ser um EP. Mas tá valendo, para quem sentiu um gostinho de quero mais, após a audição do último full-lenght, aí está uma ótima pedida.

 

Faixas:

01 – Bombenhagel
02 – Coup de Grace
03 – Pestiferous Posse

Formação:

Tom Angelripper – baixo/ vocal
Frank Blackfire – guitarra
Yorck Segatz – guitarra
Toni Merckel – bateria

Participação especial:

Harris Johns – guitarra solo em “Bombenhagel

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.