Resenhas

Cidade Solidão

Inocentes

6.0

Inocentes tem sua origem no som de rua, som punk e cru. 'Cidade Solidão' foi lançado em pela gravadora paulista Hearts Bleed Blue (HBB) em vinil 7 polegadas, para comemorar o Record Store Day de 2019.

Abre-se o EP com “Donos das Ruas”, aquele grito raivoso de uma banda que nasceu no berço das ruas e da censura. Para quem leu o livro “Meninos em Fúria – E o Som Que Mudou a Música Para Sempre” sabe do que estou falando. O líder do Inocentes, Clemente Nascimento, é um dos escritores e cresceu na periferia, na cidade cinza de São Paulo.

“Fortalece”, realmente fortalece. Inocentes já tem sua marca registrada e é figurinha carimbada no rock brasileiro. É a cara da banda, apesar de ser musicalmente fraca, mas a letra e o refrão são muito bons!

A segunda música é uma regravação de “Escombros” do disco ‘Ruas’, de 1996. Como eu já imaginava, mais uma música que começa falando da cidade. Mais especialmente a cidade de SP. O verso resume bem o disco “Parece que tudo é tão distante. Longe daqui, longe de mim”. Bem-vindo à SP! Parece que tudo é tão distante…como a própria letra diz: escritórios, ruas e fábricas. A terra da garoa.

E adivinha, mais uma canção sobre…a cidade!! Uma característica das bandas punks: músicas curtas. Sempre tem! A música que dá nome ao EP “Cidade Solidão”.

E para finalizar, “Terceira Guerra”, um cover da banda punk Fogo Cruzado. Basta ler o título para imaginar que vamos ouvir alguma crítica ou sátira para a futura Terceira Guerra Mundial. A música mais curta com mais barulho! No começo, citam “a era 80”, e frases dizendo que o mundo vai acabar.

Eu acredito que o maior prazer para uma banda é chegar ao ponto de alguém ouvir algum som de longe ou pouca sonoridade e pensar “putz, é tal banda”. É o que acontece com o Inocentes. Sempre fazem um disco com a sua marca. Cidade Solidão é aquele EP onde cada música se encaixa num eixo para tal junção, e formar o nome do nome.

Faixas:

1 – Donos das Ruas
2 – Fortalece
3 – Escombros
4 – Cidade Solidão
5 – Terceira Guerra

 

Formação:

Clemente Nascimento – vocal e guitarra
Ronaldo Passos – guitarra
Anselmo Monstro – baixo
Nonô – bateria

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.