Resenhas

Dawn of Infinite Fire

Asagraum

8.8

O metal feminino está incontestavelmente em alta e já não é surpresa nos depararmos com bandas cada vez mais extremas formadas somente por mulheres. Um destes exemplos, é a banda holandesa Asagraum que surge com o segundo álbum completo da carreira, intitulado 'Dawn of Infinite Fire', lançado no Brasil pela Mindscrape Music e a Mutilation.

Estas garotas de corpse paint e com seu black metal com uma sonoridade moderna mostram um potencial tremendo e composições extremamente intrincadas e complexas. A precisão das harmonias, a velocidade e a agressividade são as características principais deste trabalho.
Acho que as únicas pessoas que podem torcer o nariz para este álbum, são as que não gostam de black metal. Caso contrário, você ouviu tudo errado! Todos os elementos old school estão ali, como os blastbeats da bateria e riffs sombrios. Mas elas estão um passo além, com composições ambiciosas, musicalidade altamente técnica e uma produção caprichada.
Faixas que posso destacar como minhas favoritas são: Beyond the Black Vortex, Dawn of Infinite Fire e Abomination’s Altar.
São nove faixas de uma viagem ao reino do fogo e da destruição, com um espírito do black metal dos anos 90. Ostentando esta atmosfera devastadora, elas mostram que não estão para brincadeiras e sua música ritualística é totalmente convincente.

Formação(na gravação):
Obscura – Guitarra, baixo e vocal
A. Morthaemer – Bateria

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.