Resenhas

Death Atlas

Cattle Decapitation

9.5

Cattle Decapitation é uma banda de death metal formada em 1996, na cidade de San Diego, Califórnia (EUA). Death Atlas é o nono álbum de estúdio da banda, lançado no dia 29 de janeiro de 2019, pela Metal Blade Records. O referido álbum foi divulgado durante a pandemia de covid-19 e apesar de ter sido composto antes da pandemia, Death Atlas aborda tópicos que possuem relação com a aludida conjuntura.

Definir o estilo do Cattle Decapitation é uma tarefa delicada e o álbum Death Atlas reforça isso. Este trabalho tem passagens com influências de black metal e até de grind core. O vocalista Travis Ryan possui um vocal versátil e um registro marcante. Há momentos no álbum em que se explora algo parecido com vocais “clean”(limpo), mas Travis Ryan os rotula como “cleanish”, pois não é exatamente um vocal “clean” tradicional. É recomendável que o ouvinte se atente a esse detalhe, para que se possa perceber as nuances. Travis Ryan vem mencionando o termo “cleanish” em entrevistas disponíveis no YouTube, quando aborda sua técnica vocal.

Os guitarristas Josh Elmore e Belizario Dimuzio possuem linhas marcantes em praticamente todas as músicas do álbum. Seja com riffs técnicos ou lentos, as guitarras transmitem uma mensagem relevante, além dos solos rápidos e não menos marcantes. O timbre das guitarras é um detalhe que se destaca bastante e os guitarristas em conjunto com o produtor Dave Otero merecem congratulações por isso. Olivier Pinard (Cryptopsy) ficou a cargo do contrabaixo em Death Atlas e este foi o primeiro álbum com o referido baixista na formação do Cattle Decapitation. A tocabilidade e o timbre do contrabaixo no álbum são muito marcantes, o que já era de se esperar de um baixista que toca numa banda que demanda tanto do baixo como o Cryptopsy.

O baterista David McGraw se destaca tanto em termos técnicos como em relação à criatividade. A performance do referido músico é surpreendente. McGaw apresenta uma técnica de pedal duplo concisa e blast beats precisos: esses detalhes chamam atenção na tocabilidade do referido baterista.

No que diz respeito às letras, Travis Ryan é conhecido por abordar a causa dos animais em suas letras, o que também está presente em Death Atlas, mas o álbum envolve uma abrangente gama de tópicos relacionados à tendência autodestrutiva da raça humana. A faixa Bring Back The Plague, por exemplo, fala sobre como o homem “cava sua própria cova” na Terra (expressão usada na letra), usando uma narrativa que faz referência ao retorno de uma praga. Ironicamente, após o lançamento de Death Atlas, o mundo se deparou com a pandemia de covid-19 e o Cattle Decapitation inclusive produziu um videoclipe desta faixa, com referências a atual situação caótica. Dentre as faixas do álbum que mais se evidenciam, pode-se mencionar Time’s Cruel Curtain, Bring Back The Plague, Finish Them e The Geocide.

Formação:

Travis Ryan (vocal)

Josh Elmore (guitarra)

Belisario Dimuzio (guitarra)

Olivier Pinard (baixo)

David McGraw (bateria)

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.