Resenhas

Fields Of Blood

Grave Digger

8.9

É difícil ser imparcial ao fazer uma resenha de uma banda que admiro tanto e admito que sou fã, mas devo ser duro e justo. "Fields Of Blood" marca os 40 anos de estrada de uma das bandas alemãs mais respeitadas do heavy metal.

O álbum foi anunciado como uma continuação de The Clans Will Rise Again (2010) e Tunes Of War (1996), finalizando a trilogia épica que conta as batalhas e a história do povo escocês. E nitidamente tenta trazer à tona o brilho que o grupo tinha nos anos 90.
A flagrante retomada destes elementos e desta sonoridade é percebida logo na introdução “The Clansman’s Journey”, assim como em “All for the Kingdom”. Toda esta atmosfera é resgatada, como quando vamos ao cinema ver a continuação de um filme famoso de alguma franquia de Hollywood.
Na faixa “Lions of the Sea” sentimos uma abordagem mais melódica, até chegar nos cânticos de guerra “Freedom” e “The Heart of Scotland”. A balada “Thousand Tears” é praticamente uma sequência sonora da faixa “The Ballad of Mary (Queen of Scots)”, presente do disco de 1996, com o acompanhamento da vocalista convidada Noora Louhimo, da banda Battlebeast.
“Gathering of the Clans”, “Barbarian”, “My Final Fight” e “Fields of Blood” chegam a manter a atmosfera no restante do álbum, que realmente é muito interessante nas composições.
Cabe ressaltar que “Fields Of Blood” é extremamente bem mixado e produzido, tem uma centelha do passado glorioso da banda, mas ainda não ultrapassa suas obras clássicas. Ainda assim, é um ótimo disco, o melhor que o grupo lançou nos últimos anos.

Formação:
Chris Boltendahl – Vocais
Axel Ritt – Guitarra
Jens Becker – Baixo
Marcus Kniep – Bateria

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.