Resenhas

Generation Antichrist

Onslaught

6.5

Nascido em 1982 em Bristol (Inglaterra) o Onslaught que no começo da carreira militava pelo hardcore, com o passar do tempo fixou sua sonoridade no thrash metal. Após se separar em 1991, a banda retorna em 2006 mantendo-se na ativa desde então e lançando bons álbuns.

Formado atualmente por Nige Rockett (guitarra), Jeff Williams (baixo), James Perry (bateria), Wayne Dorman (guitarra) e David Garnett (vocais) a produção do álbum ficou com Daniel Bergstrand. ‘Generation Antichrist’ é o 7º álbum de estúdio do Onslaught e, com exceção de Nigel Rockett (único membro desde o inicio) e Jeff Williams (entrou para a banda em 2006), todos os demais integrantes debutam neste álbum. Lançado pela gravadora AFM Records e com distribuição no Brasil pela Valhall Music.

Qualquer banda que passa por mudanças na sua formação demora um tempo ate se adaptar e talvez este seja o principal motivo do álbum ser irregular. Não que seja um disco ruim, mas possui alguns momentos bem esquecíveis.  A faixa de abertura “Rise The Power” é um exemplo: após uma introdução entram uns riffs bem pesados e, em pouco mais de 2 minutos, a musica chega ao fim de forma abrupta. O que poderia ter sido uma excelente faixa foi muito mal trabalhado e “All Seing Eye” que se propõe a ser uma faixa thrash metal e carece de uma pegada mais forte.

Já “Strike Fast Strike Hard” chama a atenção logo de cara trazendo um solo vibrante e um refrão muito bacana. Assim como a faixa título com um riff que é um soco na cara e uma letra raivosa e perturbadora. E, em minha opinião, em “Religiousuicide” a banda nos entrega a melhor faixa do álbum com um instrumental absolutamente impecável e raivoso somado a uma letra altamente crítica em relação às religiões.

Fechando o álbum “A Perfect Day To Die” é uma regravação da versão single lançada em 2019 ainda com o antigo vocalista Sy Keeler.  Embora a expressão “Thrash Metal From UK” possa soar estranha para alguns – Thrash Metal nos remete imediatamente à cena da Bay Area e aos ensandecidos alemães – o Onslaught é um digno representante e ‘Power From Hell’ (1985) e ‘The Force’ (1986) são clássicos do estilo.

‘Generation Antichrist’ pode não ser ótimo, mas também não compromete a carreira da banda.

Faixas:
1. Rise to Power
2. Strike Fast Strike Hard
3. Bow Down To The Clowns
4. Generation Antichrist
5. All Seeing Eye
6. Addicted To The Smell Of Death
7. Empires Fall
8. Religiousuicide
9. A Perfect Day To Die

Formação:
Dave Garnett – Vocais
Nige Rockett – Guitarra
Wayne Dorman – Guitarra
Jeff Williams – Baixo
James Perry – Bateria

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.

Continua depois da publicidade