Resenhas

Glass

The Arthurs

9.0

Após uma série de lançamentos de sucesso, a banda de rock alternativo de Amsterdã finalmente lança seu novo álbum completo. Intitulado 'Glass', o novo disco dos The Arthurs chega recheado de riffs, nostalgia e talento.

The Arthurs oferece uma atmosfera suave e etérea, onde se pode encontrar a sensação de calma e um fluxo reconfortante – é notável as referências de bandas como Cocteau Twins, Dead Can Dance e This Mortal Coil. Embora há momentos mais alegres e dançantes que ligam mais aos nomes como Jesus And Mary Chains. Assim como seu álbum de estreia, ‘When I’m Sane’, ‘Glass’ foi principalmente gravado e produzido em casa por Den Drijver e novamente mixado por Paul Fitzpatrick e masterizado por Tammo Kersbergen.

Em ‘Glass’ temos refrão que explode com grandes guitarras e vocais altos, formando a mistura perfeita de quietude e movimento. O solo de guitarra parece nos enviar para o alto, para a estratosfera, com melodias de alto alcance cheias de paixão, nos levando para uma viagem durante a audição. O grupo conta apenas com harmonias e melodias ecóicas, de reverberação, quase catárticas, perfeitamente montadas para ilustrar as imagens sonoras do grupo.

O uso de sintetizador é bem notável neste disco, acompanhado por solos estridentes,  bateria altamente energética e a composição excepcional. Embora o que chama atenção são os sons mais calmos e com ar mais sentimental como “Alice at the Wedding”, “I Am the Bogeyman” e “Ghosts of Time”.

The Arthurs transforma as melodias do rock alternativo em texturas sónicas ecoantes e em algumas faixas, como a “Red Letter Days”, usam vocais murmurados. Difícil classificar em um único estilo, pois este disco traz dez composições que exploram alguns outros gêneros além do rock alternativo, passeando entre Dream Pop, Shoegazing, Ethereal e o mais comum, Indie Rock.

Conforme entramos em uma imersão completa em ‘Glass’, seu som vai para mais explorações, sendo possível encontrar diversas referências, além do talento do quarteto em criar algo old school e moderno ao mesmo tempo. A música do The Arthurs parece ainda mais atraente, agradável e interessante conforme você mergulha nos fundamentos de seu som.

Formação:

Robin den Drijver (guitarra e vocal)
Jetske Blonk (bateria)
Dylano Hahury (guitarra)
Martin Memelink (baixo)

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.