Resenhas

#13

Gotthard

8.3

A banda suíça Gotthard volta às paradas com um excelente álbum de hard rock intitulado #13, lançado no Brasil pela Shinigami Records. Quem gosta do gênero precisa ter e ouvir este registro.

Parece que o grupo finalmente conseguiu voltar aos trilhos após a perda trágica do vocalista Steve Lee, em um acidente ocorrido em 2010, em que um caminhão desgovernado lançou uma moto de encontro ao artista.
Os três últimos álbuns da banda deixaram a desejar Firebirth (2012), Bang (2014) e Silver (2017). Mas isto pode ser considerada uma situação compreensível, pois se reinventar após um trauma destes não é nada fácil.
O fato é que justo dez anos depois, em meio a uma pandemia sem precedentes da história da humanidade, o Gotthard nos entrega um álbum brilhante, com músicas extremamente vibrantes e com uma atmosfera de um hard rock elegante, atrevido e de qualidade genuinamente superior.
A épica ‘No Time To Cry’ em minha opinião é uma das melhores do álbum, primeira música a quebrar a marca de cinco minutos. Ela fica um pouco à frente de ‘Missteria’, outra das minhas favoritas no quesito qualidade de composição, uma mistura exótica de acordes que reinventa sons de bandas como Thunder e Def Leppard, embora com um “toque especial” e muito particular.
Até as baladas foram gravadas de forma soberba aqui. Temos “Better Than Love”, “I Can Say I’m Sorry”, a acústica “Marry You” e “S.O.S”, um cover do grupo pop sueco ABBA.
Há positiva mistura de elementos como a composição técnica de “Every Time I Die”, a uma ótima letra de “Man On A Mission”, um blues old school em “Another Last Time” e a psicodélica setentista “Rescue Me”.
Como eu já havia mencionado, o grupo havia errado o alvo nos últimos três trabalhos, mas agora parece ter voltado ao caminho certo. Com certeza retornaram a fazer parte das bandas que mantenho em meu “radar” e quero com certeza saber o que vão produzir daqui por diante. Eles provaram que apesar de veteranos, ainda tem muito rock ‘n’ roll pela frente.

Formação:
Nic Maeder – vocal
Leo Leoni – guitarra
Freddy Scherer – guitarra
Marc Lynn – baixo
Alex Motta – bateria (contratado para as gravações)

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.