Resenhas

Hexed Endeavours

Our Man In The Bronze Age

9.5

A banda britânica Our Man In The Bronze Age lançou seu segundo álbum, 'Hexed Endeavors', em 8 de outubro através Fr33zehead Records - também disonível em um lindo formato de LP. 'Hexed Endeavors' é o primeiro lançamento da banda desde o EP 'Habanero', de 2015 e o álbum de estréia de 2012 The Gallows Tree, mas ao contrário de seu trabalho anterior, Hexed Endeavors oferece uma quantidade maior de detalhes que aprimoram a experiência musical hipnótica para que todos possam desfrutar.

O que chama atenção é que a banda possui dois bateristas, criando melodias e composições com energia e batidas em dobro. Para promover o disco, o single escolhido foi “Midnight Lovers”, que chegou acompanhado de um animado e cativante videoclipe, que pode ser assistido acima.  “Midnight Lovers” foi uma ótima escolha para o primeiro single, jogando na cara dos ouvintes todo o talento e poder que esses garotos de bronze possuem.

“Hexed Endeavour” foi o segundo single, e é (quase) faixa-título do álbum, provando mais uma vez o talento da banda multifacetada. O que chama atenção é que a banda possui dois bateristas, criando melodias e composições com energia e batidas em dobro. E neste novo single,  é possível encontrar referências do doom, alternative, sludge, stoner e post-rock de uma maneira devastadoramente eficaz.

Soando como Queens of the Stone Age e The Strokes, essa banda vai mais além, algo que só escutando para entender do que se trata, entregando uma placa robusta de rock dinâmico e versátil com mais do que um pouco de tudo para todos. ‘Hexed Endeavors’ é uma espécie de montanha-russa de se experimentar, com a textura e dinâmica de suas 13 canções possuindo mais liberdade exploratória do que muito do rock padrão produzido hoje em dia. O acidentado está aí, mas complementado por momentos de delicadeza e melancolia melódica.

Formada em 2007, a banda decidiu criar música que fosse exclusivamente em seus próprios termos, o que inclui ter dois bateristas para um som distinto e forte. Agora, eles voltam com um álbum que varia do doom a uma alternativa ao rock pós-rock e stoner, mas inclui um grande número de riffs e melodias de guitarra fantásticos. O álbum carrega muita paixão, composição excepcional e harmonias completas que são encantadoras.

Formação:

Tom Platt ( baterista e vocalista )
Jonathan Muston (baterista e tecladista)
Graham Hulbert (guitarrista e vocalista)
Andi Jackson (baixista e vocalista)
Justin Hodges (guitarrista)

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.