Resenhas

Monopoly of Violence

Oligarquia

8.5

"Monopoly of Violence", quarto álbum de estúdio da banda paulista Oligarquia, é uma paulada na orelha de início ao fim, sem concessões ou invenções estilísticas. É metal extremo levado às últimas consequências.

O trabalho foi lançado no final do ano passado e pra quem é fã de death metal old school é uma excelente aquisição. Onze faixas com peso e crueza característicos e com participações especiais de JP (Yekun), Edu Vudu (Lobotomia), Ascaris (Imperium Infernale), Roque (DOR), Junior (Terrorcult, Hamok) e Augusto Lopes (Imminent Attack, ex-Torture Squad).
Críticas sociais são muito óbvias em suas letras. Não vão dizer que não prestaram atenção nas letras, hein? Faixas como “Fascist Heart”, “Imminent Revolution” e “Ideological Jail” já dão o tom e me fazem gostar mais ainda do álbum.
A banda já é veterana, com quase 30 anos de estrada, tendo um retrospecto muito positivo apresentado ao underground brasileiro. País que continuará sempre a produzir bandas ácidas e corrosivas, pois quem nasceu por aqui e não se sente puto com tudo que acontece já morreu ou tem algum dano cerebral.

Formação:
Victor Munhoz – voz e guitarra
Artour Barbosa – baixo
Guilherme Lopes – guitarra
Panda Reis – bateria

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.