Resenhas

One Spirit of a Thousand Faces

Dinnamarque

8.0

O Dinnamarque nos entrega no álbum ‘One Spirit of a Thousand Faces’ um equilíbrio entre power metal, metal progressivo e melodias muito bem construídas. A banda está na estrada desde 2002, mas somente agora lança seu álbum completo de estreia. Talvez este tempo de amadurecimento tenha favorecido, e muito, a composição deste disco.

O grupo, que já dividiu a palco com Thiago Bianchi (Shaaman e Noturnall), Blaze Bayley (ex-Iron Maiden), Almah, Claustrofobia, Torture Squad, Korpiklaani, entre outros, se beneficiou de sua vasta experiência, mudanças de formação e isso pode ser personificado na faixa que dá título ao álbum.
‘One Spirit of a Thousand Faces’ fala sobre a controversa ideia das vidas passadas em que uma pessoa ou uma alma pode ter várias faces no decorrer da sua eterna jornada. Vemos realmente diversas facetas na sonoridade do grupo.
Arrisco-me a dizer que é um dos lançamentos nacionais de 2020 mais criativos, agradáveis de se ouvir e que viaja nas diversas vertentes do heavy metal com muita habilidade e técnica.
Minha única nota negativa é a capa do álbum, que me causa um certo incômodo em que os integrantes juntam-se como “gêmeos siameses”, cujos corpos permamecem unidos em uma amálgama corpórea (entendo que segue a temática da faixa-título). Mas “não julgue o livro pela capa”, é um trabalho de produção esmerada e muito bem gravado.

Formação:
Rafael Dinnamarque – Vocal e Baixo
Ronan Oliveira – Guitarras e Backing vocals
Leo Lanny – Guitarras e Backing vocals
Riccardo Linassi – Bateria