Resenhas

Quantum Resolution

Kekal

9.0

Em alguns anos trabalhando na imprensa, está é a primeira banda da Indonésia que recebo para resenha. Eu já imaginava uma banda bem gore e estranha, como é o forte daquela região, mas para minha feliz surpresa, além de estranho, Kekal é confuso, desorientador e completamente incrível.

Kekal é uma das primeiras bandas da Indonésia a ganhar presença internacional em meados de 2000, lançando álbuns nos mercados norte-americano e europeu, e a primeira banda da Indonésia a fazer uma turnê pela Europa em março de 2004 – tocando uma série de músicas ao vivo shows na Alemanha, Holanda e Suécia. Desde 2009, Outro fato interessante – ou estranho -, é que Kekal se tornou uma banda sem membros oficiais, mas alguns de seus ex-membros ainda continuam a fazer novos álbuns para Kekal, embora como contribuidores anônimos. (Os nomes descritos na formação abaixo, são dos ex-membros que estão presentes na maioria dos álbuns, embora todo material não conste o nome de ninguém).

“Quantum Resolution” é o 12º álbum do projeto indonésio Kekal, que está completando 25 anos como banda. O álbum é conceitual, já que todas as músicas se relacionam com o tema principal/central, que é bem confuso, mas apresenta uma natureza muito espiritual, com letras escritas pelo músico/produtor Jeff, a partir do que foi revelado continuamente durante sua jornada espiritual de despertar, ou a chamada Gnose. O quarto álbum “1000 Thoughts of Violence” (2003) marcou o início da jornada para o desconhecido, onde Kekal combina sua energia básica do metal extremo com a enorme quantidade de elementos experimentais progressivos.

Confesso que tenho uma paixão por coisas estranhas e fora da realidade, por isso adorei essa banda, em especial este álbum. Kekal é definida como black metal, no entanto, está longe do black metal convencional. Mesmo com alguns pontos definitivamente reconhecíveis desse gênero em sua música – como na faixa “Quiet Eye” -, há muito mais coisas que vão além. “Quantum Resolution” traz música eletrônica, pop, jazz, trip hop, industrial, ambiente, orquestra e psicodelia… Acho que até o barulho da pia da cozinha. A banda afirma utilizar uma “abordagem vanguardista e alternativa para várias expressões do rock, metal e música eletrônica” e há tanta coisa acontecendo na música de Kekal que fica difícil definir suas influências, embora eu posso citar de Black Babbath a The Prodigy.

“Quantum Resolution” não cria apenas uma discussão sobre estilos musicais, ele vai além e consegue criar sensações e pensamentos diversos em casa faixa. Ai que está a mágica que me encantou… Não é apenas sobre música. A viagem aqui é na experiência vivida pelo vocalista Jeff que consegue levar cada ouvinte á um lugar diferente, encontrar estilos diferentes e também repensar sobre a temática do álbum, que segundo a banda “Fala sobre saber quem realmente somos, como espécie e como Humanidade, e para onde estamos indo. As letras cavam nossa história sombria de um passado distante, e também cavam nosso tempo presente e futuro: qual é o nosso papel aqui na Terra, e como lidamos com todos os enganos que são tão rampantes e muito estruturais que abrangem todos aspecto da vida, já que encerramos o capítulo de nossa era atual”.

Eu poderia descrever faixa por faixa e dizer o que sinto ao escutá-las, poderia citar milhares de bandas que lembrei ao ouvir, mas ficaria uma resenha enorme e não gosto disso. O ideal é cada um ouvir esta obra e tirar suas próprias conclusões, e aposto que cada pessoa vai opinar um estilo de música diferente, e melhor que isso, poderão descrever uma sensação diferente. Esse disco é literalmente uma viagem, posso até dizer que Jeff conseguiu demostrar como foi sua experiência de transe – ou Gnose. Escute esse disco com calma e irá entender o que quero dizer. Vale a pena.

Faixas:

1. Quiet Eye
2. Spiritual Anarchism
3. Inward Journey
4. The Sleep System
5. Testimony
6. Driven
7. Zoe
8. Hidden No More
9. Apocalypse: Quantum Resolution
10. Pneumatic Union

Formação:

Jefray Kurnia “Jeff” Arwadi – Guitarra e Vocal
Leo Setiawan – Guitarra e Vocal
Azhar Levi Sianturi – Baixo e Vocal

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.