Resenhas

Revelations

Oh My God! It's The Church

9.5

O icônico projeto Oh My God! It's The Church lança um novo álbum, intitulado 'Revelations', em 15 de abril. Com 12 faixas, 'Revelations' tem tudo para se tornar um dos melhores discos do ano e estar lado a lado com os clássicos já lançados por bandas como Guns N' Roses, Tenacious D e Motley Crüe.

Oh My God! It’s The Church é uma nova banda de Londres, Reino Unido, que rapidamente se posicionou como um ato de Funk Rock imperdível em todos os festivais que frequenta. Sua alta dosagem de energia só é comparada por seus trajes diabólicos e vibrações do submundo. O trabalho da banda já recebeu elogios na BBC Music por Craig Charles. Sendo irreverente, esta banda está preparada para alcançar um nível de sucesso mundial e estar ao lado de bandas do mainstream.

Misturando influências criando seu próprio som que a banda descreve como “Prince-Meets-P-Funk -Preaching Gospel banger”, eles criaram uma história teatral voltada para a igreja e o sagrado – tanto que a primeira faixa, “Revelations” é um sermão com um bom riff de rock’n’roll. O trabalho apresenta uma seção de heavy metal com muita melodia tirada do hard rock, acompanhadas fortemente pelo piano e os vocais muito marcantes que lembram o do AXL Rose. Um dos pontos altos do disco são os riffs com pegada funky e irreverência que lembra muito a icônica banda Tenacious D.

Além das faixas que são faladas – que são interlúdios cômicos -, como a “Armageddon on it”, ‘Revelations’ tem ótimos  solos clássicos de guitarra que remete aos solos épicos das clássicas bandas do estilo. Isto é explosivo, agressivo e bonito, com músicos fenomenais que criaram uma verdadeira obra de arte, onde ouvimos diversas vezes para apreciar os ótimos vocais, a instrumentação bem composta e trabalhada e mergulhar nessa viagem!

Oh My God! It’s The Church chega com tudo neste lançamento e promete criar uma missa inovadora e cheia de talento e personalidade. A banda ousou em usar um tema voltado para a igreja e colocar o bom e velho rock’n’roll misturando com muito jazz e blues e uma performance teatral, uma ideia que não tem como dar errado. Com certeza este disco estará entre os melhores lançamentos de 2022.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.