Resenhas

Rotting Incarnation Of God

Profanatica

9.0

Há 30 anos, os americanos do Profanatica trazem seu Black Metal carregado de blasfêmias para o mundo e aqui está o mais recente trabalho, cheio de ofensas brilhantes. Lançado em 11 de Outubro pela Season of Mist, a banda retorna após 3 anos do último lançamento, com 10 faixas do bom e velho Black Metal, cheio de peso, voz rasgada, bateria frenética e letras anti-cristãs.

Aragon Amori, Paul Ledney e Brett Makowski formaram Profanatica em 1990, lançando quatro álbuns completos e grandes quantidades de demos, splits e compilações. A banda se separou até Ledney encontrar dois novos membros, o álbum de estreia “Profanatitas de Domonatia” foi lançado cerca de 17 anos após o início da banda.

É interessante notar que muitas bandas tendem a suavizar seu som à medida que progridem de um registro para outro, mas o Profanatica parece ficar mais sombrio e mais sepulcral em sua composição e produção. Isso pode parecer que a banda sempre lança “mais do mesmo”, nada de tão inovador, mas aquela essência do Black Metal sempre vai me cativar. Cru, sombrio e agressivo, este é definitivamente o melhor álbum da carreira da banda.

São 38 minutos muito bem aproveitados, e com certeza você vai ouvir repetidamente. Este é um lançamento maravilhosamente perturbador e obrigatório para todo fã de metal extremo.

Faixas:

1. Liturgy of Impurity (03:38)
2. Prayer in Eclipse (02:37)
3. Broken Jew (03:08)
4. Washed in the Blood of Lord (03:49)
5. Sacramental Cum (06:12)
6. Mocked, Scourged and Shit Upon (03:17)
7. Tithing Cunt (03:03)
8. Rotting Incarnation of God (04:21)
9. Eucharist In Ruin (02:51)
10. In My Kingdom (04:32)

Formação:
Paul Ledney (Bateria e vocal)
Adam Besserer (Guitarra)
Richard Olsen (Baixo)