Resenhas

Soft Fall

Darkhues

9.0

Concebido pelo músico e produtor Hugh Smith, que criou texturas dark e eletrônica, Darkhues, lança o emblemático álbum de estreia. O disco foi lançado em julho, de forma independente, e está disponível nas principais plataformas digitais.

Depois de cantar por vários nas bandas Haawaaiii e Glowdogs, em Londres, o multifacetado Hugh Smith retorna com o álbum ‘Soft Fall’, que traz nove composições profundamente detalhadas que exploram o vasto universo de gêneros complementares. Com uma sonoridade calcadas na estética post punk, dark wave, rock gótico, psicodélico e eletro e pitadas de EBM – um prato cheio para amantes de bandas como Project Pitchfork, Joy Division, The Crüxshadows.

‘Soft Fall’ leva para um universo musical repleto de identidade e personalidade, onde o artista junta diversas influências e cria seu próprio som, que reverbera como um espasmo de camadas etéreas e explosões, geralmente executados em sintetizadores, de intensidade perfeita para as pistas escuras e “enfumaçados” como o saudoso Madame Satã. Darkhues pode apresentar ao mundo uma onda inteiramente nova do gênero retro dos anos 80.

‘Soft Fall’ foi gravado e produzido em West Auckland, e todos os instrumentos foram executados solitariamente pelo multi-instrumentista Hugh Smith, agregando não apenas sua habilidade técnica para tocar ao vivo (proveniente da larga experiência com bandas), mas para executar músicas bem estruturadas.

Com introduções cativantes e ecoantes para cada música, este, com certeza, é um álbum de sucesso. Um trabalho ao estilo DIY, quase impossível de encontrar defeitos e que particularmente me agrada por resgatar a estética post punk que tanto gosto. Aguardando ansiosamente a retomada das pistas de dança para ouvir as músicas do Darkhues.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.