Resenhas

To Become Unreal

Umbilichaos

9.0

O caos, a dissonância e o âmago. A verdade exposta sem adornos ou subterfúgios — crua, ácida e “multitemperamental”. “To Become Unreal” é uma obra de arte que foge às concepções tradicionais de beleza, dos moldes e das traduções literais da mesma, ela é sobre sensações, sobre construções e desconstruções; sobre percepções e texturas. E acredite, em meio a toda distopia que habita e transborda das composições e de suas estruturas, por vezes amorfas, há uma sensibilidade sem pares, mais que isso, há uma artista completa, inteiramente misturada à sua própria lógica de arte.

A Umbilichaos é uma “one-woman-band” natural de São Paulo, sendo fundada em 2007 pela artista multitalentosa, multifacetada e prolifera Anna C. Chaos. Aberta às mais diversas traduções de arte, Anna usa de sua pluralização, postura e criatividade nos mais diversos territórios, alongando seus tentáculos como compositora, poetisa, guitarrista, cantora, programadora sonora, mulher trans lésbica e feminista — uma irremediável, imprescindível e urgente “workaholic”.

Ao artesanato sonoro; suas produções transitam entre o Doom, Sludge, Post-Hardcore, Música Experimental/Atmosférica, Noise e Post-Metal; transitar esse que resulta em construções imersivas, enigmáticas e intensas; marcadas, por vezes, pelo atrito e homogeneização desses gêneros e de seus componentes. Seus muitos registros revelam não apenas sua alta criatividade, que longe passa de ser prolixa, mas também sua inquietação e não conformismo frente a um mundo sem nome e de tantas curvas.

“To Become Unreal” se dilata em duas composições (que somadas ultrapassam os 25 minutos), e que são recheadas por longos, ásperos e azedos riffs, resquícios melódicos, dissonância, atos psicodélicos, sons avulsos que se complementam, erupções intercaladas por períodos frágeis de serenidade e fragmentos poéticos. Sendo, em resumo, um trabalho que requer paciência e abertura plena do ouvinte tanto para seu entendimento quanto para sua absorção imersão. Ondulações, contrastes e mosaicos.

Anna confeccionou não apenas um disco, mas uma obra de arte grandiosa (que permite múltiplas leituras e interpretações). Mais uma para ser acrescida em sua galeria de obras-primas sonoras. Um disco que foge aos padrões e métricas, mas que nem por isso deixa de ser belo e instigante. Anna flui junto a seu artesanato, transgredindo regras, destruindo molduras e não se permitindo rotular e é justamente isso que a torna tão única e necessária — esse não ceder aos esteriótipos. Sua essência, suas verdades, suas luz e a profundidade de sua escuridão entram em um colapso épico no interior de seu cancioneiro.

Faixas:

01 – To Become Unreal Pt 01
02 – To Become Unreal Pt 02

Formação:

Anna C. Chaos – Todos os instrumentos

 

 

 

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.