Resenhas

Unwire Rewire Rewire

Fritch

10

Lançado oficialmente em 5 de novembro de 2021, o segundo álbum de Fritch, 'Unwire Rewire Rewire', incorpora uma ampla variedade de gêneros, mas finalmente criando algo especial que nunca experimentamos. Cada música que você encontrará é incrivelmente pensada e ousada em sua execução. Embora parecesse que havia infinitos fatores redentores em tudo isso, uma coisa que mais se destacou foi a coesão disso. Do início ao fim, você está experimentando um álbum que se destaca por si só em seus singles, mas que também fornece uma mensagem abrangente.

‘Unwire, Rewire, Rewire’ é uma obra de arte com paisagens sonoras inspiradas em ‘Blackstar’ de David Bowie com emoções e semelhanças de Nick Cave. Este é um álbum que deve ser vivido do início ao fim, sendo importante tentar vê-lo como uma peça contínua.

A faixa de abertura “We Lose Our Cool” acalma você em uma paisagem sonora de New Wave enervante e harmônica, onde as harmonias vocais dançam em torno de acordes de piano quebrados, guitarras distantes distorcidas e sinais de rádio como se uma mensagem dos mortos ou de outra dimensão estivesse tentando romper em todo o seu mistério e majestade. Logo de início vemos a semelhança com o clássico “Lazarus” de Bowie.

Citando a referência á Nick Cave, a temos a faixa “Do You See What I See”, com o tenor cadenciado do cantor principal surfando sobre estranhos e maravilhosos elementos percussivos. Difícil descrever a sensação desta música, é preciso ouvir com atenção e mergulhar de cabeça.

O álbum é uma incursão triunfante no experimental. A banda parece misturar sem esforço suas influências New Wave e Post Punk que se unem com tons mais modernos para criar alguma paisagem de sonho do espaço sideral cheio de experiências sensoriais igualmente estranhas e maravilhosas que encorajam uma jornada introspectiva no ouvinte deste vitral, viagem de psilocibina de deleite musical.

Sem dúvida, este já é um dos melhores lançamentos independentes deste ano. Conquista fãs de estilos mais sombrios e amantes de bandas como Joy Division,  Nick Cave and the Bad Seeds e David Bowie.

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.