Resenhas

Warpath

Toxic Avenger

8,0

Warpath é o disco de estreia dos paraguaios do Toxic Avenger, banda baseada na capital Assunción e que foi formada no ano de 2012. Originalmente, o play foi lançado em 2013 e aqui no Brasil é um dos vários lançamentos da Dies Irae que contam com um CD bônus. Foi lançado por estas terras em 31 de março de 2019.

Formada no ano de 2012, a banda lançou uma demo logo um ano depois e acabou por se reunir no Las Palmeras Studio entre os meses de setembro de 2015 e julho de 2016 para gravar e mixar o play e a própria banda ficou responsável pela produção. Vamos fazer uma análise das nove músicas que compôem o debut desta banda, que assune em seu release ter bebido em fontes maravilhosas como Testament, Whiplash, Kreator e outros titãs do Thrash Metal mundial. As faixas disponíveis no disco 2 serão apenas citadas nesta resenha, mas sem contar na avaliação geral.

Colocando a bolacha para rolar, temos “Prelude to Violence”, uma faixa inteiramente instrumental, com ótimos dedilhados de violão que nada tem a ver com a proposta Thrash Metal do grupo. A surpresa é ótima, uma vez que há belas harmonias e muita influência da música regional dos caras.

Cinco minutos depois de o ouvinte provavelmente xingar a gravadora por achar que esta cometera um erro em botar um disco errado na capa de uma banda de Metal, “Sent by Evil” chega arregaçando tudo, com um Thrash Metal inspirado nos anos 80, principalmente no Testament. Que sonzeira, contrastando de maneira absurda com a faixa calma que abre o play.

Trapped in Hate” tem uma longa intro com riffs arrastados, mas logo logo o pau quebra e a velocidade toma conta de tudo em uma música enérgica, que faz o ouvinte, e inclua aí este redator que vos escreve, a soltar aquele palavrão para definir a qualidade dos caras. E está aqui, bem do nosso lado, são nossos vizinhos. A faixa título chega mantendo tudo na velocidade máxima, com riffs enérgicos e um refrão tão grudento quanto aqueles das bandas de Hard Rock e Glam Metal. É o Thrash Metal Old-School com toques modernos destilando toda sua qualidade 

Dirty Bitch” é curta e grossa e tem uma pegada mais punk. E. Pouco mais de um minuto ela cumpre bem o seu papel. A veia Thrash Metal retorna com “Psichotic Mind” que é mais cadenciada em boa parte de sua duração, com algumas inserções velozes. Chamam a atenção aqui os riffs, muito bons. Os caras sabem o que estão fazendo.

Thrash Metal Addiction” é o oposto da faixa anterior: veloz em boa parte de sua extensão, com as quebras no andamento, onde os riffs cadenciados se coloquem em evidência. “Burn Poser” também é veloz, mas a diferença aqui é uma inserção mais atmosférica no meio e um solo que realmente é muito bom, o melhor do álbum. Muito boa.

The Antichrist Return” tem o final épico que o disco merecia: muita velocidade com uma pequena quebra no andamento recheada de bons riffs e um clima incrível. E assim se passam 36 minutos pra lá de agradáveis, em um disco muito bom.

O CD bônus é composto pela primeira demo da banda. Cinco das seis músicas entraram no debut. A qualidade é muito boa se considerarmos que são versões demo. Já as faixas ao vivo servem para que possamos ter ideia de como a banda é ao vivo, haja vista que com essa pandenia interminável, será meio difícil que possamos vê-los em ação em um futuro.

Enfim, o disco principal que é o nosso principal objetivo da resenha tem um resultado muito bom. E o que mais impressiona que vem de um país improvável como o Paraguai, muito pelo pré-conceito que carregamos contra o nosso país vizinho. A produção é impecável e as músicas ajudam. A versão nacional conta com uma bela capa slipcase, com direito a pôster e um singelo adesivo, além de um encarte bem feito. A constatação de que ao nosso redor na América do Sul também se faz Heavy Metal de qualidade.

Faixas:

Disco 1:

01 – Prelude to Violence

02 – Sent by Evil

03 – Trapped in Hate

04 – Warpath

05 – Dirty Bitch

06 – Psicotic Mind

07 – Thrash Metal Addiction

08 – Burn Poser

09 – The Antichrist Return

Disco 2:

01 – Trapped in Hate (demo)

02 – The Antichrist Return (demo)

03 – Dirty Fuckin Bitch (demo)

04 – Instrumenthrash (demo)

05 – Thrash Metal Addiction (demo)

06 – Toxic Avenger (demo)

07 – Thrash Metal Addiction (live)

08 – Burn Poders (live)

09 – Dirty Bitch (live)

10 – Warpath (live)

11 – Trapped in Hate (live)

12 – Sent by Evil (live)

Formação:

Bernie Marecos – baixo

César Gallo Aveiro – guitarra solo

Kure – vocal

Adrian Ricart – guitarra

Bruno Romero – bateria

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.