Resenhas

Atavistic Black Disorder / Kommando

Mayhem

9.5

Os pioneiros noruegueses do black metal dispensam apresentações após o momento de definição do gênero que é 'De Mysteriis Dom Sathanas', de 1994, dito isso, vamos falar do novo EP, intitulado 'Atavistic Black Disorder / Kommando', que nos foi presenteado pelo Mayhem. Lançado pela Century Media e distribuído no Brasil através da parceria Xaninho Discos/Voice Music/Rock Brigade Records, 'Atavistic Black Disorder / Kommando' é um disco curioso, moderno e cheio de motivos para conquistar até os que não são fãs desse estilo macabro do metal.

Mayhem ainda estava a meio do ciclo de promoção ao seu mais recente álbum de estúdio, o muito aplaudido ‘Daemon’, lançado em Outubro de 2019, quando a pandemia provocou a paralisação total dos shows, e claro, a banda teve que se recolher em casa. Mas para a alegria dos fãs, Mayhem tinha um material extra, um adicional das gravações de ‘Daemon’, incluindo uma homenagem às bandas que clássicas do punk rock.

‘Atavistic Black Disorder / Kommando’ traz 3 músicas inéditas que mostram como a banda evoluiu bem e está incluindo tons mais modernos ao clássico black metal. A segunda faixa, “Black Glass Communion”, deixa isso bem claro.  A última faixa, “Everlasting Dying Flame” é ousada e majestosa, mas nem um pouco desprovida do rosnado ameaçador que é simplesmente inextricável da alma do Mayhem. Para amantes do primórdio do Mayhem o disco pode soar médio, mas para quem gosta de inovação e modernidade, esse será um dos melhores lançamentos do ano – E claro, para quem gosta de covers.

O ápice desse disco são as versões cover de bandas como Discharge, Dead Kennedys, Rudimentary Peni e Ramones, que da maneira típica do Mayhem, se encaixam de forma impressionante em seu som explosivo e escuro. Em maio deste ano, quando o trabalho foi anunciado, o baixista Necrobuthcer explicou por que resolveram gravar os covers. “Nós tínhamos um tempo extra no estúdio em que gravamos o álbum ‘Daemon’ há dois anos e todos os membros da banda foram convidados a colocar duas faixas cover para algum material extra. Eu escolhi músicas ‘The Truth’, do Deathstrike ‘Evil Death’ do Death, que foram usadas como faixas bônus do álbum”.

Não deixa de ser curioso que, uma banda que sempre esteve tão profundamente arraigada no caos e na volatilidade, mantenha agora uma notável estabilidade de formação há mais de uma década, e isso ajudou com que seus trabalhos sejam notáveis, mostrando a perfeita interação entre os músicos – as faixas covers mostram muito isso. Particularmente, não encontro nada de ruim nessas versões que juntam dois dos meus estilos preferidos. “Hellnation”, do Dead Kennedys, conta coma  participação do Maniac, ex-vocalista do Mayhem, que faz uma representação decente de Jello Biafra, com um vibrato rápido comparável. Em “In Defense Of Our Future”, do Discharge, o vocalista convidado é Billy Messiah, que também não deixa espaços para críticas, criando um cover sólido.

‘Atavistic Black Disorder / Kommando’ é uma visão interessante, divertida e reveladora de uma das primeiras fontes de inspiração raramente discutidas no Mayhem – se bem que, para quem ouviu os primeiros discos é possível identificar muito do punk rock nas comosições -, além de criar uma odisséia musical que os mostra multifacetados de várias maneiras.

Faixas:

“Voces Ab Alta”
“Black Glass Communion”
“Everlasting Dying Flame”
“In Defense Of Our Future” (cover do Discharge)
“Hellnation” (cover do Dead Kennedys)
“Only Death” (cover do Rudimentary Peni)
“Commando” (cover do Ramones)

Formação:

Attila Csihar: vocal
Ghul: guitarra
Teloch: guitarra
Necrobutcher: baixo
Hellhammer: bateria

 

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.