Resenhas

Empire Of The Blind

Heathen

8.5

É praticamente impossível separar o termo “thrash metal” da Bay Area de San Francisco (Califórnia, EUA). Qualquer fã de heavy metal, quando ouve falar naquele lugar, lembra automaticamente de Metallica, Exodus, Testament e Megadeth.

Formado em 1984, o Heathen fez parte daquela cena mas é uma banda reconhecida apenas pelos mais aficionados pelo estilo. Em grande parte, isto se deve ao fato da banda não ter lançamentos constantes – “Empire Of The Blind” é apenas o 4º álbum da banda e sai 10 anos após “The Evolution Of Chaos”. Lançado pela Nuclear Blast, e distribruído no Brasil pela Shinigami Records.

E, ouvindo o álbum, a primeira questão que penso é: como uma banda com tanto potencial e boas ideias tem uma discografia tão reduzida?

Logo de cara o que mais chama a atenção são as faixas “old school” como “The Blight e The Gods Divine”, feitas especialmente para aquela roda de mosh que tanto sentimos falta atualmente.  E tem também “Shrine Of Apathy”, uma pseudo balada que várias bandas daquela época cometeram e onde o vocalista David  White é o destaque.

Mais pancadaria? Ouça “Blood To Be Let” e a faixa título, “Empire Of The Blind, com seu riff matador.

Outro aspecto a se registrar é a cozinha formada por Jason Mirza (baixo) e Jim DeMaria (bateria) que, embora estreante, dá o suporte necessário para os riffs certeiros e solos matadores da dupla de guitarristas Lee Altus (também integrante do Exodus) e Kragen Lum.

Em seus quase 50 minutos, “Empire Of The Blind” é um álbum que transborda a essência do “thrash metal anos 80” e todo fã do estilo tem a obrigação de ouvir.

Faixas:

  1. This Rotting Sphere
  2. The Blight
  3. Empire Of The Blind
  4. Dead And Gone
  5. Sun In My Hand
  6. Blood To Be Let
  7. In Black
  8. Shrine Of Apathy
  9. Devour
  10. A Fine Red Mist
  11. The Gods Divide
  12. Monument To Ruin

Formação:

Lee Altus – guitarra
David White – vocal
Kragen Lum – guitarra
Jason Mirza – baixo
Jim DeMaria – bateria

 

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.