Resenhas

Manifest

Amaranthe

9.0

O Amaranthe apresenta "Manifest", um álbum surpreendente em diversos aspectos e que realmente exerce ao mesmo tempo um fascínio e um alívio aos ouvidos de fãs confinados neste combalido ano de 2020 que derrubou todas as datas de shows e turnês pelo mundo.

A mensagem que eles apresentam é clara e animadora, concebida mediante muita paixão e criatividade. Mesclando uma sonoridade “pop” com camadas de metal pesado, encontraram um equilíbrio em suas composições e quebram alguns paradigmas. Lado a lado, mergulham arranjos de metal sinfônico entremeados com elementos do pop e do R&B.
“Viral” e “Fearless” são destaques, mas a favorita ficou por conta de “Archangel” que é uma mistura de peso e de elementos eletrônicos que beiram o metal industrial.
Creio que posso dar uma nota alta pela experimentação que se não é inédita (temos bandas que fazem isso há tempos), ao menos foi muito bem feita neste álbum. Sem medo dos “haters”, é um trabalho original e que merece alçar voos maiores rumo ao protagonismo em festivais pós-pandemia.

Formação:
Elize Ryd – vocal
Henrik “GG6” Englund Wilhelmsson – vocal
Nils Molin – vocal
Olof Mörck – guitarra e teclado
Morten Løwe Sørensen – bateria
Johan Andreassen – baixo

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.