Notícias

Machine Head lança o novo single ‘My Hands Are Empty’

A banda Machine Head lançou um novo single “My Hands Are Empty”, pela Nuclear Blast. A canção marca a primeira colaboração musical entre o líder do grupo Robb Flynn e o guitarrista original da banda Logan Mader nos últimos 24 anos.

Desde o vocal de abertura assombroso, a bateria clássica, a linha de guitarra melancólica, o ouvinte sabe que está prestes a algo épico. O céu fica um pouco mais escuro, os arrepios começam a formigar a pele, os ouvidos procuram escutar o que vem a seguir. No momento em que o verso começa, o peso o domina.

“Misery, cover me in waves, the heartache is slowly, withering, I become her slave”

E assim começa uma canção de depressão e vício em opióides, do Machine Head.

O guitarrista e vocalista Robb Flynn comentou: “Tenho alguns membros da família que venceram seu vício em opiáceos e alguns ainda estão no auge do vício. É doloroso assistir e lido com isso com grande dificuldade. É uma canção de tristeza, mas também há esperança. Eu venci meus próprios vícios em drogas e podemos lutar contra isso, juntos, e compartilhar nossa dor com o mundo. ”

Ele continua: “Musicalmente, eu queria ir para a vibe de ‘Through The Ashes OF Empires’, e tinha uma vibe grandiosa desde o início, algo naquela melodia vocal me assombrava dia e noite. Mandei para um de nossos colaboradores Joel Wanasek, e ele voltou com toda a profundidade e dimensão com cordas e tonalidades que realmente deram vida à música. Adicionei a harmonia da guitarra no refrão logo em seguida e soube que estávamos com algo especial.

Na recente turnê “Burn My Eyes 25th Anniversary”, mencionei a Logan sobre a necessidade de um ou dois riffs para uma nova música, ele estava animado para colaborar, enviei a música para ele e no dia seguinte ele me mandou de volta o riff pesado da ponte e eu fiquei chocado. Encaixou-se perfeitamente e foi muito bom escrevermos juntos 24 anos depois. Jared veio com o ritmo sob a seção principal e a música realmente encaixou.”

O guitarrista Logan Mader acrescenta: “Durante os preparativos para a turnê de aniversário do álbum ‘Burn My Eyes’ no ano passado, tive uma oportunidade especial de colaborar com o Machine Head pela primeira vez em mais de 20 anos.

Este é um grande marco para mim, voltar a circular em uma enorme órbita ao redor da vida e acabar fazendo novas músicas com o Machine Head é épico e inesperado. A música “My Hands Are Empty” estava quase concluída, mas precisava de um ou dois riffs. Robb o enviou para mim, então eu peguei e adicionei uma seção que acabou na masterização depois de alguns ajustes de arranjo por Robb. A música é incrível. Foi uma sensação ótima estar no estúdio com Robb depois de todos esses anos e espero fazer de novo! ”

A bateria de tirar o fôlego foi tocada por Navene Koperweis (ENTHEOS, WHITECHAPEL, ANIMALS AS LEADERS) que se apresentou na faixa “Circle The Drain” (lançada em fevereiro) e a canção apresenta troca de vocais no refrão entre o vocalista Flynn e o baixista Jared MacEachern para uma peça musical verdadeiramente dinâmica.

Mais uma vez produzido por Zack Ohren e Robb Flynn, e magistralmente mixado por Colin Richardson, o vídeo que acompanha foi dirigido por Mike Sloat / Roaring Mouse Productions e provou ser um grande desafio na era Covid-19, com as autoridades de saúde do norte da Califórnia fechando as filmagens 24 horas antes, mas sempre os improvisadores, foram capazes de salvar todo o caso, e os resultados impressionantes podem ser conferidos no clipe.

Travis Shinn/Nuclear Blast Records

Letra de “My Hands Are Empty”:

Misery, cover me in waves
The heartache is slowly
Withering, I become her slave
Succumb to the darkness

Suffocating like I’m drowning in sand
Depression’s got me by her cold dead hands

Treachery, the choices you made
Cut my heart open with this golden blade

My hands are empty, lies so petty
My hands are empty, kill me gently

Medicate, I watched you slowly die
The powders and pills
Disintegrate, you right before my eyes
The emptiness haunts me

Glass reflections of a cold dead stare
Ingesting chemicals of death with no care

Memories, they haunt me they stain
Of what you once meant to me before this pain

My hands are empty, lies so petty
My hands are empty, kill me gently

I, I will not hide these scars of mine
(Take away the shame)
I, I will not be what’s left behind
(Find someone else to blame)
Forgiveness, constricted
No longer human
A ghost in time

Continua depois da publicidade