Resenhas

Reluctant Hero

Killer Be Killed

7.8

"Reluctant Hero" é o segundo álbum do "estrelado" projeto coletivo formado por Max Cavalera, Greg Puciato, Troy Sanders e Ben Koller. E possui uma mistura de tudo que estes artistas trouxeram em suas bagagens.

Longe de ser um álbum totalmente inovador, soa obviamente quebrando diversas regras e paradigmas. Ele segue a linha de seu primeiro álbum auto-intitulado “Killer Be Killed” (2014).
A audição deixa clara a intenção do projeto, dar vazão a todas as inspirações estilísticas que não cabem em suas respectivas bandas. É um metal alternativo (se formos insistir em encontrar um rótulo), mas com elementos que ficam bem definidos em cada faixa.
A principal característica que me agrada são os três vocais alternados, aumentando a gama da sonoridade sem deixar as faixas caírem na mesmice. O álbum não é perfeito, mas tem um esforço conjunto muito promissor e que em momentos chega a ser empolgante.
A pegada mais thrash/punk de “Filthy Vagabond” ou a letra espetacular de “Dream Gone Bad” que é muito apropriada para este mundo pós-pandemia. Tudo funciona muito bem junto.
“Inner Calm from Outer Storms” tem um show à parte de Max Cavalera. A faixa começa mais cadenciada com o vocal de Puciato, para depois explodir numa onda de ferocidade e brutalidade de Max. “The Great Purge” segue pelo mesmo caminho, começa lenta para terminar numa explosão sonora.
A faixa-título ‘Reluctant Hero’, que encerra o álbum é mais soturna, com uma pegada de pós-punk misturada com rock industrial, uma levada definitivamente bem “dark”.
Honestamente, é um álbum muito bem produzido e inspirado. Como havia avaliado anteriormente, nada inovador, mas é um trabalho coeso e autêntico que merece ser ouvido com a devida atenção.

Formação:
Max Cavalera (guitarra, vocal)
Greg Puciato (guitarra, vocal)
Troy Sanders (baixo, vocal)
David Elitch (bateria)

Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do site Headbangers News e é de responsabilidade de seu autor.