Notícias

Especial Dia Mundial do Rock: Bandas Nacionais

Parabéns ao Dia Mundial do Rock e a todos que curtem este gênero!

As bandas de rock contribuem muito para a música brasileira, e isso não é de agora. Há décadas, a cada tempo que passa, as bandas se reinventam e deixam suas marcas no cenário. Sejam elas por influências de algumas bandas estrangeiras e/ou famosa pela sua originalidade.

Se tem uma coisa que brasileiro sabe ser, é criativo, seja através da vida cotidiana, pela internet ou dentro do meio artístico. Somos um país rico em originalidade no som, na composição e em outros meios. Temos a capacidade de dizer que uma banda com 8 pessoas em início de carreira fez tanto sucesso, e continua até os dias de hoje, como é o caso dos Titãs. Ou, por outro lado, vemos um trio feminino que sofreu várias mudanças e continua crescendo como a banda Nervosa. E o que isso tem a ver com o dia de hoje? As bandas influenciadas, posteriormente, influenciarão com sua originalidade. Além dessa tarefa difícil, dentro de toda atitude roqueira, também existe a ideia de manter formação, ou outros tópicos que podemos abordar como a troca de integrante e o estilo sonoro de um disco para o outro. Podemos ver isso na discografia do Camisa de Vênus, por exemplo.

Para citar o tamanho de nossas bandas que já tocaram ou abriram para bandas gringas seria necessário um novo artigo, pois a lista é grande. Através do metal com o Angra tocando com a Tarja Turunen., o Ultraje a Rigor abrindo pro Rolling Stones, Ego Kill Talent abrindo para o Foo Fighters e Queens of The Stone Age. Em outras palavras, as bandas mais antigas que estão na ativa conseguiram marcar presença no cenário com seu selo gravando discos, marcando hits e colecionando álbuns. O segredo está na originalidade! Não podemos perder as essências e raízes, não é mesmo? A banda Project46 pode responder isso com o maior domínio, cantando em português um metal extremamente alto, e a banda tocando muito bem ao vivo! Ou, a nova sensação do momento, Supercombo, que souberam usar a internet para divulgação como ninguém nos dias de hoje. Em paralelo, o vocalista se juntou com sua namorada Isa Salles e Edu Filgueira para montar o projeto SCATOLOVE, voltado para músicas de casais e temas específicos, usando palavras atuais do “hype”. Seguindo na mesma linha, a banda Scalene também está conquistando seu espaço com essa nova modernidade, e pela ideia de lançar “singles”.

No longínquo tempo da MTV, a cantora Pitty teve seu destaque, e agora com a força do YouTube a banda Far From Alaska está crescendo tanto quanto. A vocalista Evelyn Barreto já fez parceria com a própria Pitty, e a banda já fez uma jam com Andreas Kisser. Clipes meio “loucos” e um som simples com eletrônica, digamos assim, bem interessante.

Para o HC, temos a banda Pense, no qual nota-se a influência do Dead Fish, com seu jeito de tocar/cantar.

Sabemos que é meio controverso a citação de Mamonas Assassinas num site de headbangers, mas existe algo mais original do que essa banda? Difícil.

Além da originalidade, também temos que contar com bandas que tomaram alguns rumos e não tiveram bons resultados, como é o caso do Capital Inicial. Podemos considerar uma banda dos anos 2000, porque antes disso era somente covers da Legião Urbana e poucos hits da banda. Com o lançamento do “Acústico MTV”, de 2000, e “Rosas e Vinho Tinto”, de 2002, voltaram às rádios. E o resto é história. Ou a própria Fresno, adorada pelo auge do emo no Brasil, mas com o tempo, isso foi passando, fizeram parcerias com Lenine, Emicida… e a sonoridade mudou também.

E o som skate-praia-rock n’ roll? Com Rumbora, Carbona, Chico Science & Nação Zumbi, CBJR e até Raimundos, ganharam o início dos anos 2000 com toda malandragem envolvida em um escritório na praia.

Recentemente, o canal Kazagastão do YouTube, entrevistou o vocalista e guitarrista Max Cavalera, e mesmo morando fora do país ele mostrou estar interessado e acompanhando as bandas novas, citando Surra, Desalmado, Cemitério. Ele, que é uma referência de carreira roqueira para qualquer um!

Essa nova leva de bandas underground surgiu depois do estouro do emo, de 2010 pra cá, com a “Vespas Mandarinas” que abriu portas e iniciou o lançamento de videoclipes no YouTube, com seu sucesso “Não Sei o Que Fazer Comigo”, vieram Molho Negro, Questions, Oponente, e agora as bandas HC estão em alta nesse 2020.

Por outro lado, o metal também anda ativo nas celebrações de discos antigos, no caso do Edu Falaschi, do Angra, com novo disco e formação fixa e a volta do Shaman, e todo esse movimento do cenário.

A banda Nervosa se apresenta no Kool Metal Fest, no Carioca Club, na noite de domingo, dia 10 de novembro, em São Paulo.

Carlos Pupo/Headbangers News

A banda Nervosa se apresenta no Kool Metal Fest, no Carioca Club, na noite de domingo, dia 10 de novembro, em São Paulo.

A banda Surra se apresenta na segunda edição do Overload Beer Fest, no domingo, 16 de março de 2020, no Carioca Club em São Paulo

Jéssica Mar/Headbangers News

A banda Surra se apresenta na segunda edição do Overload Beer Fest, no domingo, 16 de março de 2020, no Carioca Club em São Paulo

Seja pelo classic, punk, hardcore, metal ou qualquer outra vertente, é sempre bom recordar os hinos que nos influenciaram e que ficarão marcados, sendo tocados nas rádios, casa de shows ou na internet. Ou até mesmo as novas canções que nos emocionam, vimos números de visualizações em plataformas sendo gerado dia após dia, entrevistas, resenhas, próximo álbum, e toda a curiosidade do fã em saber “o que virá no próximo disco”. Isso surge a partir de uma vontade, pelos integrantes das bandas, pelos locutores e a quem estiver no meio business. Sempre em busca de viver de música, em cima do palco, popularizando a sua arte. Aquela que começou tocando para amigos, e hoje esta distribuída na internet ou nos eventos da cena que nunca deixou de existir…

Em pleno 2020, é besteira vir com “rock é atitude, liberdade ou expressão”, quanto mais rotulamos as coisas, mais quadradas elas ficam. É necessário acompanhar os meios de comunicação para descobrir bandas novas? Bom, no canal de comunicação “falido” como a rádio, é o que mais anda sintonizado nas bandas. Para ter mais contato, basta acompanhar nos perfis dos programas nas redes sociais, que  geralmente usam lives para interagir e compartilhar bandas. Como exemplo, o programa “Heavy Pero no Mucho”, da 89, com apresentação do Thiago DJ, onde será meio difícil ouvir Angra, Iron Maiden, Black Sabbath e derivados, pois ele divulga muitas bandas brasileiras novas e as que já estão na cena, como Dead Fish, Garotos Podres, entre outras. Voltado ao público ska, punk, hardcore, é um ótimo programa dentro madrugada com interações, áudios via WhatsApp, divulgação de eventos…

E pela Rádio Kiss FM, temos o “Kiss Club” que abre espaço para as bandas tocarem, e consequentemente, divulgarem o seu som, no “Orra Meu Estúdios”. Também temos a opção do o novo programa, “Autoral Brasil”, no intuito de descobrir bandas nacionais e autorais, e sairmos um pouco da mesmice de covers!

E vale ressaltar que em comemoração, a Rádio Rock irá fazer uma live com o CPM 22 no canal do YouTube! Vamos comemorar, em casa!

Continua depois da publicidade

Continua depois da publicidade